Sporting

Ruben Amorim: "É desconfortável não estarmos na liderança"

Ruben Amorim: "É desconfortável não estarmos na liderança"

Técnico dos leões não quis comentar o mercado de transferências dos leões, virando o foco para o Vizela, onde espera uma equipa muito mais agressiva do que aquela que perdeu frente ao Santa Clara.

"É desconfortável não estar na liderança. Não pelo último resultado, porque isso pode acontecer, nós não controlamos o resultado, mas toda a gente acabou o jogo e sentiu que podíamos ter dado mais. É uma situação nova, o ano passado desde a sexta jornada que estivemos em primeiro, mas temos de pensar jogo a jogo. Muito ainda vai acontecer neste campeonato, é manter o mesmo pensamento do ano passado", atirou Ruben Amorim, na antevisão do encontro com o Vizela, da 18.ª jornada [18 horas, domingo, SportTV2].

Os leões venceram em Alvalade por 3-0, na estreia dos vizelenses na Liga, mas Amorim assume que os comandados de Álvaro Pacheco estão melhores. "Espero um jogo difícil. O Vizela está melhor do que no jogo da primeira volta, não é a estreia deles na Liga, cresceram com o tempo, mas nós também. Jogamos de uma forma diferente em certos aspetos. Espero um jogo ainda melhor do que aquele que foi em Alvalade, mas que tenha o mesmo resultado, uma vitória do Sporting. Precisamos de vencer, temos essa obrigação.", assumiu, tendo também comentado o mercado de transferências.

"Aqueles jogadores que vierem são a pensar no presente ou no futuro. O único que penso que desmentimos foi o Vitinha, avançado do Braga, para não haver mal-entendidos porque já os houve no passado. Quisemos descartar isso, não vamos estar a comentar jogadores. A nossa ideia é melhorar o plantel tendo a forma que olhamos sempre para o mercado. Quem vier será a pensar nesta época e nas próximas", assumiu o treinador, comentando diretamente uma possível troca entre Marcus Edwards, do Vitória de Guimarães, e Bruno Tabata.

"Não vou estar a comentar o que sentiria por perder um jogador para ter outro. Passaria por mim e seria um pouco hipócrita dizer o que sinto. Vamos fazer o que achamos que é melhor para o grupo. Há jogadores que esperámos para os ter aqui, como o Paulinho, por exemplo. Queremos que os adeptos saibam que temos uma ideia muito clara, não é por perdermos ou ganharmos um jogo que nos vamos desviar do caminho. Olhamos para a formação e para jogadores com fome e talento que possam vir ajudar de acordo com as nossas necessidades. Mas reforço, estou muito satisfeito com o nosso grupo, todos têm dado resposta", argumentou.

Com o início da segunda volta, Amorim sacudiu favoritismos na Liga para o F.C. Porto. "A equipa mais forte é o F.C. Porto, está em primeiro, marca mais golos, sofre poucos, é a equipa que entra na segunda volta em vantagem e no melhor momento. "

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG