Sporting

Rúben Amorim: "Enquanto estiver feliz não será uma questão de dinheiro"

Rúben Amorim: "Enquanto estiver feliz não será uma questão de dinheiro"

Rúben Amorim, assumiu, na tarde desta quinta feira, que não será a eventualidade de algum clube poder pagar a cláusula de rescisão, agora de 30 milhões de euros, que deixará Alvalade. Técnico reconhece que a pressão é agora maior.

Rúben Amorim esteve na sala de imprensa em Alvalade pouco depois do anúncio da renovação do contrato até 2024. Uma ligação em que ampliou o salário e a cláusula de rescisão para trinta milhões de euros. Questionado sobre este novo vínculo poderia fazer descansar os simpatizantes face a uma eventual investida de terceiros, o técnico não confirmou o valor do montante liberatório.

"Os contratos são feitos de acordo com a confiança das duas partes. Enquanto estiver feliz no Sporting não será uma questão de dinheiro. Se me quiseram mandar embora será uma questão de me pagarem tudo. Mas sinto-me muito feliz aqui. O projeto é a minha cara e temos muito para fazer, sabendo que o futebol é o momento e que daqui a duas semanas podemos estar aqui num ambiente completamente diferente. E, por isso, há que nos focar no próximo jogo", assegurou o responsável durante o lançamento do duelo desta sexta-feira (20.45 horas), diante do Santa Clara.

O responsável, que admitiu que a pressão "é agra maior", lembrou que o oponente chega a Alvalade numa boa fase. "Jogamos com o Portimonense num bom momento e o Paços não perdia desde a nona jornada. Agora vamos encontrar uma equipa muito moralizada, no melhor momento da época e que quer vencer o Sporting", destacou.

O leão vai tentar ampliar a almofada de conforto da liderança da Liga que de momento se situa em nove pontos de avanço para o Sporting de Braga.

O Santa Clara entra em Alvalade na sétima posição e depois de um triunfo expressivo sobre o Paços de Ferreira, (3-0), na última jornada.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG