Sporting

Ruben Amorim: "Não temos um euro para gastar"

Ruben Amorim: "Não temos um euro para gastar"

Na antevisão ao jogo com o Rio Ave, amanhã (20.30 horas), para a segunda jornada da Liga, o treinador do Sporting salientou a falta de capacidade para investir no plantel e acredita que o empate em Braga (3-3) não vai deixar marcas na equipa. Paulinho está lesionado e não vai a jogo.

"Temos um plantel muito curto, com vários jogadores da equipa B. O mercado tem as suas leis e construímos assim o plantel, abdicando da profundidade, para ter um núcleo que permita à equipa ser competitiva. Se Matheus Nunes sair arranjaremos solução, só não há solução para a morte. Não temos um euro para gastar e por isso é que temos os jovens como o Chermiti no plantel para nos darem soluções", explica o treinador leonino, que informou ainda que Paulinho se lesionou e não será opção para o jogo de amanhã. .

Quanto ao número reduzido de opções para o meio-campo, especialmente após a saída de Palhinha, - Bragança estará lesionado por muito tempo, - o técnico acredita que está bem servido com as opções ao dispor, defendendo que tem ainda os jovens caso seja necessário. "No ano passado o Palhinha esteve muitos jogos castigado, alguns lesionado e acho que fomos a equipa com mais jogos sem sofrer golos. O Morita esteve bem e o Ugarte também, por isso penso que não foi por aí o problema".

PUB

Os três golos sofridos em Braga não preocupam Amorim, uma vez que no entender do treinador se deveram a "faltas de concentração" e por isso não são sinais preocupantes. "Só sofremos três golos no mesmo jogo por três ocasiões em quase 100 jogos. Tratam-se de faltas de concentração e por isso temos de estar sempre no máximo, até porque confio em todos os defesas. Não fizemos caso dos pequenos pormenores, mas sabemos onde erramos. Vamos voltar a ser fortes na consistência defensiva", comentou Amorim.

Apesar de desvalorizar o empate com o Braga (3-3), o técnico diz que foram os pormenores individuais que permitiram sofrer o terceiro golo, perto do minuto 90. "Falou-se muito do terceiro golo do Braga. É normal haver um contra um. Talvez o Coates devesse ter pressionado mais em cima, o St. Juste podia fazer isso, o Edwards também. A jogada não teve nada de especial, é apenas a prova de que qualquer pormenor pode fazer a diferença. Se o Coates estivesse um metro à frente a semana seria totalmente diferente", acredita.

Amorim deixou ainda uma palavra sobre a morte de Chalana: "Foi meu treinador dos infantis. Deixou-nos muito cedo, mas deixou boas memórias, vai fazer falta com certeza. Aproveito para deixar um abraço à família".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG