Sporting

Rúben Amorim: "Tivemos tempo para preparar, a pandemia ajudou-nos um pouco"

Rúben Amorim: "Tivemos tempo para preparar, a pandemia ajudou-nos um pouco"

O treinador do Sporting, Rúben Amorim, mostrou-se satisfeito pelo triunfo (2-1) caseiro sobre o Gil Vicente, esta quarta-feira, e reconheceu que o bom momento pelo qual a equipa passa foi potenciado pela paragem devido à pandemia de covid-19.

O técnico leonino reconheceu que a paragem no campeonato foi mais benéfica para o Sporting do que para os adversários. "Parece que sim. Tivemos tempo para preparar, a pandemia ajudou-nos um pouco. Mas o sentido inverso é o nosso trabalho. Este grupo tem uma coisa muito boa, sofremos em todos os jogos, nunca sentimos o jogo totalmente controlado. É um prazer enorme sofrer com eles, dentro do campo, vou ficar mais velho rapidamente com eles, sofremos sim, mas sofremos todos juntos e, às vezes, mais do que a técnica e tática é isso que faz uma equipa forte", apontou.

As estreias de Tiago Tomás e Joelson e o desempenho dos outros jovens também mereceram palavras elogiosas de Rúben Amorim. "É o trabalho deles, trabalho da formação, também prepararam bem os jogadores. Mas sabemos, nota-se que precisam de tirar isto - a estreia - do corpo, digamos assim. Vão evoluir com os jogos. Não sei que tempo de jogo vão ter, sabia que o Quaresma ia jogar sempre e jogou. Nuno Mendes adaptou-se muito bem e vai acontecer o mesmo com ele, sabendo que temos jogadores experientes que os ajudam nesta fase e os resultados também ajudam. Como disse, eles dão tudo e quando dão tudo vão ter tudo do treinador", frisou o treinador dos leões.

Apesar dos bons resultados, o técnico prefere adotar um discurso modesto e evita comparações com outros colegas de profissão. "Não tenho nada [a ensinar aos outros]. Tenho tido bons jogadores, o que ajuda muito, e tenho tido sorte nos momentos certos. Tenho tido gente que acredita em mim e que me deu a oportunidade. Gente aqui que acreditou muito em mim e que foi contra muita gente e por um valor alto. Tento retribuir da mesma maneira", avançou Rúben Amorim, completando: "Sou o primeiro a tirar coisas dos outros treinadores, estamos sempre a aprender uns com os outros. Sigo sempre grandes exemplos como o mister Vítor Oliveira. Há grandes treinadores portugueses. Não tenho nada a ensinar-lhes, aprendi muito com eles".

O treinador sabe que a massa associativa está ávida de títulos e acredita que esse momento vai chegar. "Os adeptos querem títulos, o Sporting vive de títulos. Temos o caso do Liverpool, que demorou anos [30 para conquistar de novo a Premier League] a construir o que conseguiu agora. Não digo que vamos demorar o mesmo tempo. Desde o dia em que entrei, o próximo jogo é para ganhar, não há maior ambição do que essa. É uma regra do nosso balneário", finalizou Rúben Amorim.

Outras Notícias