Futebol

Rúben Amorim: "Tivemos várias oportunidades e podíamos ter feito mais golos"

Rúben Amorim: "Tivemos várias oportunidades e podíamos ter feito mais golos"

Rúben Amorim, treinador do Sporting, ainda não lançou foguetes, mas reconhece a vitória em Vila do Conde, esta quarta-feira, frente ao Rio Ave (2-0), em jogo da 31.ª jornada, foi importante para a equipa ficar cada vez mais perto do título.

"Sabíamos que era um jogo muito perigoso. O Rio Ave também quis sair a jogar muitas das vezes e nós pressionamos bem. Tínhamos planeado muito bem essa parte do jogo e os jogadores entraram de uma forma muito agressiva, fortes nas bolas paradas, tivemos várias oportunidades e podíamos ter feito mais golos. Voltámos a falhar várias ocasiões, mesmo na segunda parte, com mais espaço, podíamos ter feito mais golos, mas ganhámos num campo muito difícil e a vitória, mais uma vez é justa", começou por salientar o técnico leonino.

E prosseguiu: "O Rio Ave na segunda parte mudou a forma como estava a jogar. Como tínhamos ensaiado a pressão de uma maneira, quando se muda, demoramos um bocadinho a acertar. Quando o Matheus entrou, acho acertamos a pressão e depois também baixámos o bloco para ter mais espaço para sair e o Rio Ave tinha de ir atrás do resultado. Entrámos bem, não deixámos facilitar, mas o Rio Ave mudou duas peças na forma de sair e demorámos algum tempo a acertar a nossa pressão".

Para Rúben Amorim, a sequência de 31 jogos seguidos sem perder deve-se "a ser um sortudo de ter jogadores que sabem as suas limitações, mas têm um coração grande". "Honramos o nosso clube e soubemos crescer durante a época. Por isso, a evolução deles foi muito boa. Soubemos trabalhar, soubemos sofrer, mas ainda não conquistamos a Champions, que era muito importante para o clube, até para termos dinheiro. Agora é continuar porque ainda falta um jogo".

O apoio dos adeptos também mereceu um conselho do treinador leonino: "Agora é descansar bem, comer bem, trabalhar bem, usufruir da família, porque daqui a uns dias temos outras duas horas de sofrimento, por isso eles têm de se preparar, gozar o dia a dia e o momento, sabendo que podemos perder pontos com qualquer equipa, mas também podemos ganhar. Preparar bem para o sofrimento que vem aí".

O técnico do Sporting defendeu que a vinda para Alvalade, pelos números que envolveram a transferência, foi um grande risco e uma grande pressão para Frederico Varandas, mas considera que já retribuiu a confiança. "Fui pago para fazer o meu trabalho e, às vezes, os resultados aparecem ou não aparecem. Agora, que me dá um conforto, não foi mentir, era um peso, não tanto por mim, mas pelo presidente e pelo Hugo Viana", finaliza.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG