Taekwondo

Rui Bragança é o 59.º atleta português apurado para Tóquio2020

Rui Bragança é o 59.º atleta português apurado para Tóquio2020

Rui Bragança apurou-se, esta sexta-feira, para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, tornando-se o primeiro praticante de taekwondo qualificado e aumentando para 59 o número de portugueses com presença assegurada e para 13 as modalidades representadas.

O atleta, de 29 anos, assegurou uma vaga no torneio olímpico de taekwondo, na categoria de -58 kg, ao chegar à final do torneio de qualificação, em Sófia, na Bulgária. Esta vai ser a segunda presença de Rui Bragança em Jogos Olímpicos, depois de ter sido nono no Rio2016, numa modalidade em que a única presença lusa tinha ocorrido em Pequim2008, com o sétimo posto de Pedro Póvoa.

A velejadora Carolina João tinha sido a última atleta a conquistar uma vaga de apuramento olímpico, a quinta da modalidade para Tóquio2020, ao conseguir um lugar em Laser Radial.

Carolina João, de 24 anos, garantiu a quinta quota nacional e a terceira embarcação nas competições de vela, ao ser 43.ª na prova de qualificação europeia, disputada em Vilamoura, onde Diogo Costa e Pedro Costa já tinham assegurado a entrada na competição de 470, ao terminarem em segundo lugar no Mundial da categoria.

Tal como os irmãos Costa, a velejadora natural da Amadora, do Sport Algés e Dafundo, nunca disputou Jogos Olímpicos, ao contrário de Jorge Lima e José Costa, que, em 49er, já estiveram no Rio2016 e foram os primeiros portugueses a assegurar a presença em Tóquio2020.

Também a natação já tem cinco atletas com mínimos, com Alexis Santos, semifinalista no Rio2016, e Gabriel Lopes nos 200 metros estilos, Tamila Holub e Diana Durães nos 1.500 livres, e Ana Catarina Monteiro nos 200 mariposa.

O andebol continua a ser a modalidade com mais representativa na comitiva lusa, depois de ter assegurado primeira presença de Portugal da modalidade e a estreia 'oficial' das modalidades coletivas de pavilhão, depois da participação lusa no torneio de demonstração de hóquei em patins em Barcelona1992.

PUB

No torneio pré-olímpico, a equipa das 'quinas', comandada por Paulo Jorge Pereira, poucos dias depois da morte do guarda-redes Alfredo Quintana, assegurou a qualificação com um triunfo, nos últimos segundos, sobre a França por 29-28, com um golo do capitão Rui Silva, garantindo a presença de 14 andebolistas.

Segue-se o atletismo, com 11 vagas asseguradas nas competições que vão decorrer na capital japonesa, entre 23 de julho a 08 de agosto de 2021, três das quais na maratona feminina, depois dos apuramentos de Carla Salomé Rocha (2.24.47 horas), Sara Catarina Ribeiro (02:26.40 horas) e Sara Moreira (2.26.42), esta última no passado domingo.

Pedro Pablo Pichardo e Patrícia Mamona, que se sagraram recentemente campeões europeus em pista coberta, têm presença assegurada no concurso do triplo salto, tal como Evelise Veiga, enquanto Auriol Dongmo, igualmente campeã continental em pista coberta, vai participar no lançamento do peso.

Os também lançadores Francisco Belo, no peso, e Liliana Cá, no disco, vão estrear-se em Jogos, enquanto João Vieira, aos 45 anos, tem marca de qualificação nos 50 km marcha e deverá estar pela sexta vez em Jogos - apesar de não ter iniciado os 20 km de marcha em Sydney2000 -, tornando-se no segundo luso com mais presenças, a uma do velejador João Rodrigues, enquanto Ana Cabecinha assegurou vaga nos 20 km marcha.

Na canoagem, seis atletas garantiram a qualificação nos Mundiais de velocidade de 2019, entre os quais Fernando Pimenta, medalha de bronze em K1 1.000 metros em Szeged, na Hungria.

O K4 1.000 metros, composto por Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela, e Teresa Portela (K1 200) também já têm presença em Tóquio, tal como Antoine Launay (K1) no slalom.

No equestre são já quatro as vagas asseguradas, com Luciana Diniz, nona no Rio2016, a garantir a presença na prova de obstáculos, ainda não sendo oficial que será a luso-brasileira a viajar para Tóquio.

Antes, já estavam assegurados três atletas na equipa de ensino, com a vaga conquistada por Maria Caetano, Rodrigo Torres, João Miguel Torrão e Duarte Nogueira no Europeu.

Pedro Fraga e Afonso Costa garantiram o apuramento em 'double scull' ligeiro, e asseguraram o regresso do remo nacional aos Jogos, após a ausência no Rio2016.

O veterano Pedro Fraga, de 38 anos, da Académica, vai estar pela terceira vez em Jogos Olímpicos, agora com o jovem Afonso Costa, do Clube Naval Setubalense, de 25 anos, depois do quinto lugar em Londres2012 e do oitavo em Pequim2008, em ambos fazendo dupla com Nuno Mendes.

Maria Martins vai estrear o ciclismo de pista como disciplina olímpica para Portugal, depois de se ter qualificado através do 'ranking' de omnium.

O oitavo lugar de Nelson Oliveira no contrarrelógio dos Mundiais de 2019 permite a Portugal ter pela primeira vez dois ciclistas no 'crono' em Jogos Olímpicos.

Portugal vai estar também representado no ténis de mesa, através da equipa masculina, que venceu o seu grupo no torneio de qualificação olímpica.

Em Gondomar, os já olímpicos Marcos Freitas, Tiago Apolónia e João Monteiro asseguraram nova presença na prova de equipas, na qual no Rio2016 foram eliminados na primeira ronda pela Áustria.

A qualificação da equipa garante também a vaga para dois portugueses na prova individual. Em 2016, Marcos Freitas, que caiu nos quartos de final, e Tiago Apolónia, eliminado na terceira ronda, foram os representantes lusos.

Fu Yu já tinha assegurado a presença no torneio feminino de ténis de mesa, graças à presença na final dos Jogos Europeus.

De regresso aos Jogos Olímpicos estará o tiro com armas de caça, com João Paulo Azevedo no fosso olímpico.

Em estreia, estará o surf, com Frederico Morais, por ter sido o melhor atleta europeu nos Mundiais de 2019, enquanto Filipa Martins repete a presença na ginástica artística.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 realizam-se de 23 de julho a 8 de agosto de 2021.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG