Futebol

Rui Costa e o Benfica Campus: "Aqui há inevitavelmente mérito de Luís Filipe Vieira"

Rui Costa e o Benfica Campus: "Aqui há inevitavelmente mérito de Luís Filipe Vieira"

O atual presidente do Benfica assinalou esta quarta-feira os 15 anos do centro de estágios do Seixal, defendendo que o mérito do projeto, que nunca parou de crescer, é de Luís Filipe Vieira.

"Voltei ao Benfica no ano da inauguração do Benfica Campus e tinha sido uma mudança extraordinária não andarmos com a casa às costas. Eu vinha do Milan e apanhei este centro de estágios e perguntei-me como é que o Benfica dera aquele passo tão importante para o seu crescimento. Nestes 15 anos o Benfica Campus nunca parou de crescer, de evoluir e aqui há inevitavelmente mérito de Luís Filipe Vieira, que não só fez nascer o centro de estágio como nunca o deixou parar", salientou Rui Costa.

E prosseguiu sobre o Benfica Campus: "As condições que a equipa principal tem aqui são únicas, estão ao nível das melhores do mundo, permitindo qualidade de trabalho e de treino como há em poucos lados. Não há nenhum jogador que não tenha saudades do Benfica e nunca conseguem encontrar condições iguais a estas. Juntar as duas partes no mesmo centro de estágios não é usual. Se formos a vários clubes de topo, há o centro de estágios da equipa principal e o centro da formação. Tentámos aqui juntar as duas partes para mostrar aos miúdos o lado de lá, onde podem chegar".

Segundo o presidente das águias, a vantagem mais visível "é ter uma equipa B que permite o jogador continuar a ser trabalhado internamente e estar mais rapidamente pronto para a equipa principal". "Há uma porta aberta para a equipa principal, houve nestes anos uma estratégia de inclusão de jogadores na equipa principal, mas não pode ser obrigatório que 25 miúdos da equipa B passem para a equipa principal, porque isso não vai acontecer. Mas a porta sempre esteve e estará aberta. Os jogadores têm de trabalhar arduamente, não podem ter isso como um dado adquirido. Mas, serão sempre as escolhas principais", destacou o dirigente benfiquista.

Rui Costa defende que com o centro de estágios se tornou "mais fácil chegar à equipa principal" do que quando era jogador. E justifica: "Se virmos quantos jogadores começaram épocas na equipa B e passaram a meio da época para a principal, é um número muito alto. Renato Sanches, Ferro, Florentino são casos flagrantes com peso na equipa principal e que se estivessem emprestados não poderíamos ter feito essa transição. Ao longo da semana vários jogadores da B treinam com a equipa principal, o que faz o treinador perceber se o jogador está ou não pronto para trabalhar na equipa principal".

Sendo candidato à presidência do clube nas eleições de 9 de outubro, o antigo jogador anotou que esta quarta-feira esteve no Benfica Campus na "condição de presidente" para falar sobre os 15 anos do centro de estágio.

PUB

"Tudo o que puder dizer mais pode parecer um outro tipo de entrevista que rejeito hoje [quarta-feira]. Mas olhando para o que está montado aqui será sempre um marco importante para o futuro esteja quem estiver nesta posição. Este é um património tremendo do clube. Aconteça o que acontecer no futuro do Benfica, seja imediato ou mais à frente, é um património tremendo que o Benfica tem de saber aproveitar sempre, seja em que circunstância for", finalizou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG