Benfica

Rui Gomes da Silva prevê novas eleições dentro de "ano e meio"

Rui Gomes da Silva prevê novas eleições dentro de "ano e meio"

O ex-candidato à presidência do Benfica Rui Gomes da Silva disse, este sábado, que Rui Costa vai vencer as eleições para o clube, mas mostrou-se cético sobre o futuro e antecipou nova ida às urnas em "ano e meio".

"Rui Costa merece esta oportunidade. O próximo ciclo é um ciclo muito exigente, onde vamos discutir direitos televisivos, o futuro do Benfica como clube da Europa ou grande clube de Portugal, o ano em que vamos ter de discutir se o Benfica é ou não vendido... Se querem a minha previsão, daqui a ano e meio estaremos cá outra vez com o Benfica numa grande crise. Espero não ter razão como tive há um ano", afirmou.

Em declarações aos jornalistas após exercer o direito de voto no Pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz, o candidato à presidência nas eleições de 2020 - teve 1,64% dos votos, contra 62,59% de Luís Filipe Vieira e 34,71% de João Noronha Lopes - vincou que este sufrágio "encerra um ciclo" de quase duas décadas com Luís Filipe Vieira. Porém, o advogado e sócio 'encarnado' não deixou de lamentar a permanência de diversos nomes na lista de Rui Costa.

"Disse há um ano que não contaria com ninguém da lista de Luís Filipe Vieira. Espero que hoje [Rui Costa] vá ser eleito e com uma grande maioria, mas temo que não saiba as dificuldades que vai encontrar. Rui Costa está convencido desde 1990 que vai ser presidente do Benfica e não vou ser eu a tirar-lhe esse gosto", notou, acrescentando: "Se fosse eu, teria escolhido outro caminho. Ele é que vai ser presidente do Benfica, não eu".

Questionado sobre a razão para não se apresentar a votos e tentar a eleição, Rui Gomes da Silva explicou que soube "ler em democracia o que as pessoas quiseram", apesar de ter deixado críticas à lista apresentada há um ano por João Noronha Lopes e que defendeu estar agora associada a Francisco Benitez.

"Quem teve 35% nas últimas eleições teria a obrigação de estar aqui a disputar as eleições do Benfica, e a prova evidente é que correspondia a uma lista de interesses em que o único objetivo era, se Luís Filipe Vieira caísse -- como era previsível que caía há um ano e eu disse há um ano que estaríamos aqui em eleições -, que as ideias que eu representava e as pessoas que me acompanhavam não tivessem nenhuma hipótese de ganhar", notou.

De acordo com Rui Gomes da Silva, "a qualidade das pessoas que estavam no ano passado à frente desta lista é a mesma qualidade das pessoas que hoje estão à frente e que todos viram no último debate eleitoral".

PUB

O ex-candidato não avançou desta vez, mas não descartou uma eventual nova candidatura no futuro: "Daqui a ano e meio espero estar completamente errado. Ter razão outra vez? Tive razão em 2020, se tenho razão em 2021, aí pensarei", finalizou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG