Mundiais

Rui Silva foi 11.º nos 10 mil metros e Naide eliminada na final do comprimento

Rui Silva foi 11.º nos 10 mil metros e Naide eliminada na final do comprimento

Rui Silva foi, este domingo, 11.º nos 10 mil metros, nos Mundiais de Atletismos de Daegu, na Coreia do Sul, numa prova ganha pelo etíope Ibrahim Jeilan após um longo e vigoroso "sprint". Naide Gomes foi eliminada na final do salto em comprimento, depois do terceiro salto, com a marca de 6,26 metros. No segundo dia de provas, Portugal somou ainda a eliminação no salto com vara e um 16º lugar na marcha.

Rui Silva registou a marca de 28.48,62 minutos, terminando mais de um minuto e meio depois de Jeilan, que marcou 27.13,81 depois de ultrapassar nos últimos 50 metros o britânico Mohamed Farah, que atacara antes do início da última volta.

Farah gastou mais 26 centésimos de segundo que Jeilan, enquanto a medalha de bronze foi para outro atleta etíope, Imane Merga.

Já Naide Gomes, que se qualifificou com um único ensaio de 6,76 metros, não saltou mais do que 6,16 e 6,26 na final da prova do salto em comprimento, depois de um salto nulo.

O desempenho de Naide Gomes esteve aquém das expectativas esta época, resultados que atribui à lesão no pé, da qual recupera desde Janeiro.

Naide Gomes foi quarta classificada no salto em comprimento nos Mundiais de Atletismo de 2007 e 2009.

Brittney Reese, que completa 25 anos em 9 de Setembro, conquistou a medalha de ouro, revalidando o título mundial com um salto de 6,82 metros logo no primeiro ensaio, o único em que não pisou a tábua.

PUB

A medalha de prata foi para a russa Olga Kucherenko, com 6,77 metros, e a de bronze para a letã Ineta Radevica, com 6,76.

As provas que decorreram esta manhã em Daegu (madrugada em Portugal Continental), confirmando a baixa prestação no salto com vara e o resultado esperado na marcha por parte de João Vieira, cujos problemas físicos ao longo da época o deixaram afastado do nível dos Mundiais de 2009, em que foi décimo classificado, e longe do terceiro lugar obtido no Europeu de 2006.

Apesar de ter descido no ranking, de finalista para semi-finalista, o marchista português de 35 anos declarou-se "bastante satisfeito" com o resultado obtido na prova, face às condições climatéricas adversas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG