Desporto

Sá Pinto festejou ida ao play-off junto à bancada com adeptos do Vizela

Sá Pinto festejou ida ao play-off junto à bancada com adeptos do Vizela

Ricardo Sá Pinto, treinador do Moreirense, foi festejar o triunfo diante o Vizela e a respetiva presença no play-off junto da bancada afeta aos adeptos visitantes, que, no decorrer do jogo, festejaram com entusiasmo os golos do Tondela.

Se, por um lado, os apoiantes da equipa vizelense não gostaram do comportamento do treinador do Moreirense, já os adeptos locais aplaudiram a atitude de Ricardo Sá Pinto.

Numa partida de muitos nervos nas bancadas, os ânimos estiveram exaltados na chegada dos adeptos do Vizela ao estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, com as forças de segurança a recorrerem ao uso da força para evitar confrontos entre os associados das duas equipas.

PUB

Face à rivalidade existente entre os clubes, separados por três quilómetros, o reforçado contingente da GNR conseguiu impedir, em escassos minutos, que os incidentes tivessem maiores proporções. Ainda dentro do estádio e já com o jogo terminado, também houve carga policial na bancada vizelense.

O treinador do Moreirense explicou, já na sala de imprensa, as razões que o levaram a festejar junto dos adeptos do Vizela. "Sou uma pessoa emocional. Tenho respeito por toda a gente, gosto das gentes de Vizela, mas há uma coisa que me deixa triste. Podemos ser rivais, mas festejar os golos dos outros para descermos de divisão? Prefiro ter sempre o rival para estes dérbis. Não gostei como festejaram os golos contra nós. Emocionalmente não resisti, porque doeu-me. Não é nada contra Vizela e contra as pessoas de Vizela, até gosto de ir lá jantar e almoçar, mas não gostei. Como não gostei quando os nossos adeptos começaram com os olés", vincou Ricardo Sá Pinto.

Álvaro Pacheco critica Sá Pinto

O treinador do Vizela, Álvaro Pacheco, reprovou festejos de Sá Pinto junto dos adeptos da sua equipa, e acredita que o homólogo do Moreirense já se arrependeu do ato.
"É lamentável. Temos de saber estar dentro do campo e controlar as nossas emoções. Temos de trazer paz para o futebol e evitar estas situações. É um ato isolado e fora do contexto. O Sá Pinto é uma pessoa de bem e acredito que deve estar arrependido", afirmou Álvaro Pacheco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG