Santa Clara - F. C. Porto:

A maldição chegou às ilhas e agora em versão precoce

A maldição chegou às ilhas e agora em versão precoce

O Santa Clara eliminou os dragões da Taça da Liga, com uma vitória inequívoca em São Miguel. Os açorianos não ganhavam aos portistas desde 2001 e estão muito perto da final four.

Há coisas que não mudam e uma delas é a Taça da Liga causar dissabores ao F. C. Porto. Época após época, o troféu escapa aos dragões e em 2021/22 o adeus consuma-se logo ao primeiro jogo na prova, com o Santa Clara a vestir, desta vez, a pele de carrasco. Péssima no campeonato, a equipa insular transfigurou-se e conseguiu a primeira vitória sobre os portistas em 20 anos.

Sérgio Conceição mudou 10 jogadores em relação ao onze que tinha iniciado o jogo de sábado em Tondela e deu-se mal. Muito mal. Sem rotinas coletivas, quem entrou de início não mostrou andamento, nem capacidade, para fazer esquecer quem foi poupado.

O Santa Clara organizou-se bem, jogou de forma muito concentrada e foi eficaz a aproveitar as oportunidades, acabando a partida a festejar um triunfo que deixa a equipa de Nuno Campos muito perto da final four (para isso não acontecer, o Rio Ave terá de ganhar no Dragão, na última jornada do grupo, por três golos de diferença, ou por dois, desde que marque no mínimo quatro).

Voltando ao início, os portistas até entraram com vontade. Fábio Vieira e Toni Martínez podiam ter aberto o marcador, mas foi o Santa Clara a chegar ao golo, num canto em que a defesa portista não se mostrou expedita a afastar a bola, depois de reclamar uma falta anterior sobre Grujic, que levou o sérvio a ser assistido e a ficar a olhar para o lance na lateral.

Ao contrário do que sucedeu em Tondela, a desvantagem abalou imenso os dragões, que até ao intervalo só voltaram a ameaçar a baliza num livre de Fábio Vieira. No início da segunda parte, Conceição lançou Sérgio Oliveira, Otávio e Luís Díaz, e o empate esteve por um fio várias vezes, mas nova desatenção atrás custou o 2-0, desta vez com Mbemba e Marcano mal na fotografia do golo de Ricardinho.

PUB

Evanilson e Taremi, também saídos do banco portista, ainda contruíram a jogada em que o iraniano fez o 2-1, com quase 15 minutos para jogar, incluindo os descontos, mas seria o Santa Clara a chegar novamente ao golo, num lance de contra-ataque muito bem finalizado por Nené.

O melhor
Ricardinho esteve em todo o lado no meio-campo dos anfitriões e ainda marcou um belo golo. O coletivo do Santa Clara funcionou na perfeição.

O pior
É difícil escolher entre as más exibições portistas. Talvez Pepê e Corona mereçam o destaque negativo. Toni Martínez foi um desastre a finalizar.

A Arbitragem
Grujic parece ter sofrido falta no lance que precedeu o canto de que resultou o primeiro golo do Santa Clara. No resto, a arbitragem não teve casos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG