Conselho de Disciplina

Segunda parte do Estoril-F. C. Porto alvo de inquérito

Segunda parte do Estoril-F. C. Porto alvo de inquérito

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol instaurou, nesta terça-feira, um processo de inquérito à segunda parte do Estoril-F. C. Porto.

A decisão surge na sequência de uma denúncia anónima feita à Procuradoria-Geral da República, dando conta de alegada corrupção na etapa complementar do encontro entre canarinhos e portistas.

"O processo foi enviado hoje à Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, mantendo-se em segredo até ao fim da instrução", pode ler-se no comunicado divulgado na página da Federação Portuguesa de Futebol.

Depois de a partida ter sido interrompida ao intervalo, na sequência de problemas numa das bancadas no estádio António Coimbra da Mota, a segunda parte foi disputada a 21 de fevereiro, com os dragões a transformarem uma desvantagem de 1-0 numa vitória por 3-1.

Na sequência da divulgação da denúncia anónima, tanto Estoril como F. C. Porto negaram qualquer ato de corrupção no encontro entre as duas equipas.

Francisco J. Marques, diretor de Comunicação do F. C. Porto, confirmou uma transferência feita para o Estoril, uma semana antes do jogo, para saldar dívidas pendentes relativas às transferências dos jogadores Carlos Eduardo e Licá.

O Conselho de Disciplina abriu ainda inquérito ao incidente ocorrido no clássico de sexta-feira, entre Fábio Coentrão, jogador do Sporting, e dois socorristas, e a Rúben Dias, futebolista do Benfica, na sequência de um lance com Rúben Micael, durante o Paços de Ferreira-Benfica, da 24.ª jornada.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG