Futebol

Seleção feminina ganha no Chipre

Seleção feminina ganha no Chipre

A seleção nacional feminina impôs-se, esta sexta-feira, fora, ao Chipre, por 3-0, no terceiro jogo do apuramento para o Campeonato Europeu, que podia ter um resultado ainda mais expressivo.

Cláudia Neto, aos 19 minutos, abriu o marcador, ampliado no segundo tempo por Diana Silva, aos 56, e por Ana Capeta, aos 90+1, três golos que permitiram a Portugal ascender ao segundo lugar do grupo E de qualificação, com sete pontos, apenas atrás da Finlândia, que soma 10, mas tem mais um jogo.

Na terça-feira, é a vez da seleção das quinas receber a congénere cipriota, no Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril, pelas 18 horas.

O selecionador Francisco Neto promoveu a estreia absoluta a Alícia Correia, de apenas 17 anos, que não teve trabalho defensivo face à superioridade lusa em todas as fases do jogo, perante uma seleção do Chipre com poucos argumentos para se aproximar da baliza de Patrícia Morais.

Portugal chegou à vantagem aos 19 minutos, com um fantástico golo da capitã Cláudia Neto, a 'encher' o pé após receber a bola de um canto curto e fletir para o interior da área, abrindo o marcador já depois de uma primeira ameaça de Diana Silva, aos 14.

Na única ocasião que o Chipre dispôs em todo o encontro, Patrícia Morais, com uma enorme defesa, impediu o golo à recém-naturalizada cipriota Krystyna Freda, aos 24 minutos, tendo a seleção portuguesa replicado de imediato, mas a jogada de entendimento entre Diana Silva e Melissa Gomes culminou em defesa da guarda-redes Maria Matthaiou.

Se a supremacia portuguesa já era evidente, mais ficou quando Maria Ioannou foi expulsa por acumulação de amarelos, aos 39 minutos, com Cláudia Neto muito perto de 'bisar' de livre direto, acertando na trave. Antes, a capitã já tinha rematado por cima (33) e Melissa Gomes ao lado, graças a um pequeno desvio (34).

A segunda parte manteve a toada e o golo da tranquilidade surgiu aos 56 minutos, por Diana Silva, após uma primeira tentativa aos 48 e de um livre direto de Dolores Silva por cima aos 51. Num fantástico trabalho, a avançada do Aston Villa tirou a guarda-redes e uma defesa do caminho e atirou facilmente para o fundo das redes, numa assistência de Andreia Norton.

O segundo tento acalmou o jogo, mas ainda deu para as tentativas de Melissa Gomes, que atirou por cima na zona do penálti (61), e da recém-entrada Telma Encarnação, que chegou a marcar, mas em posição irregular (73).

O terceiro golo surgiu já em período de descontos, por Ana Capeta, que rendeu Cláudia Neto e, poucos segundos depois, cabeceou de forma letal, dando a melhor sequência ao canto cobrado por Dolores Silva.

Outras Notícias