Futebol

Sérgio Conceição e Jesus na nova coleção de inimigos de Lito Vidigal

Sérgio Conceição e Jesus na nova coleção de inimigos de Lito Vidigal

Lito Vidigal deixou o Marítimo depois de ganhar ainda mais inimizades entre os colegas de profissão no campeonato português. Sérgio Conceição e Jorge Jesus foram dos mais críticos, esta época, em relação à estratégia de jogo adotada pelo treinador agora desempregado, mas há muito que esse "problema" está identificado.

Há muito que Lito Vidigal é acusado de "envergonhar o futebol português", promovendo o antijogo para somar pontos nas equipas que tem representado. A passagem pelo Marítimo, ainda que curta (nove jogos com três vitórias, um empate e cinco derrotas), acentuou essa ideia.

Depois de perder com o Marítimo (2-3), no Estádio do Dragão, o treinador do F. C. Porto, Sérgio Conceição, foi sintomático a "desmascarar" o treinador adversário. "Não me surpreendeu em nada. Não me surpreendeu o Lito Vidigal a dizer aos seus jogadores para se deitarem para o chão, nomeadamente o guarda-redes, quando queria fazer uma substituição, mas isso o 4.º árbitro também ouviu. Todas as pessoas que estavam ali na linha lateral ouviram. Não me surpreende nada, porque eu conheço-o, sei da inteligência dele e sei da forma perspicaz como ele organiza as equipas e tenta conquistar pontos", afirmou o treinador dos azuis e brancos, já com alguma ironia no fim do discurso.

A verdade é que na véspera desse jogo disputado a 3 de outubro e referente à terceira jornada da presente edição do campeonato, já Sérgio Conceição havia deixado um reparo a Lito Vidigal: "Para lá da inteligência que ele tem, em termos táticos também a tem e saberá fazer o melhor. Confio na sua inteligência para não fazer algo que envergonhe o futebol português".

Ainda mais recente foi o ataque de Jorge Jesus. O Marítimo esteve a vencer, mas o Benfica deu a volta ao marcador (1-2) e levou os três pontos. De qualquer forma, durante o jogo, quando as águias marcaram o segundo golo, Jesus não se controlou, festejou o tento e berrou para Vidigal. "Tem vergonha! Vai treinar o Elvas", atirou, já agarrado por Rui Costa, referindo-se à cidade onde cresceu o então treinador do Marítimo.

No fim desse que foi o último jogo de Vidigal no comando do Marítimo, em conferência de Imprensa, o técnico dos encarnados voltou ao ataque: "O Marítimo não precisa de fazer isto. Isto é um antijogo constante, o futebol português não quer ideias destas. Aquilo que já tinha ouvido falar da equipa do Marítimo é verdade... Enquanto não está a perder não quer jogar. O guarda-redes aparece constantemente no chão, há quebras do jogo, jogadores a mandarem-se para o chão... Isto não é qualidade para que se possa jogar no campeonato português. Depois quando estiveram a perder já quiseram jogar e quando quiseram jogar até jogaram melhor que o Benfica, nos últimos 10 minutos".

PUB

Na época 2015/16, quando treinava o Arouca, já o estilo de jogo de Lito Vidigal era muito contestado, tal como as afirmações que proferia em conferência de Imprensa. Depois de um empate sem golos com o S. C. Braga, então orientado por Paulo Fonseca, ficou célebre uma entrevista rápida, na qual o atual treinador da Roma se lançou contra o técnico agora desempregado, apontando-o como "o engraçadinho da classe".

"A partir do penálti (favorável ao S. C. Braga e falhado por Alan) e das expulsões (duas para os arsenalistas não houve mais jogo", afirmou Paulo Fonseca, referindo-se ao dito "antijogo" que é colado às equipas de Lito Vidigal.

Pior foi quando Paulo Fonseca, nessa mesma flash interview, foi instigado a comentar as palavras proferidas na véspera do Arouca-S. C. Braga por Lito Vidigal, considerando que os arsenalistas estavam mais frágeis do que nas épocas anteriores.

"O Lito diverte-me sempre imenso. Eu confesso que vejo sempre tudo relacionado com o Arouca para ver tudo o que ele diz. Repare, dou-lhe vários exemplos: ri-me imenso quando, no jogo da primeira volta, ele disse que o Braga lutava para ser campeão; depois, ri-me imenso no jogo aqui em Arouca contra o Sporting (Lito Vidigal atirou-se para o chão, tocado pelo sportinguista Naldo), em que ele protagoniza, provavelmente, o momento da época; a seguir, ri-me imenso quando, na projeção a este jogo, ele diz que estamos aquém das expectativas. Mas sabe quando me rio mais? Quando ele diz que a equipa dele é arrojada. Aí, eu parto-me a rir. No meio de tantos treinadores, tem que haver um destes. É como na escola, há sempre o engraçadinho da turma. Neste caso, o Lito é o engraçadinho da nossa classe", afirmou Paulo Fonseca a 27 de fevereiro de 2016.

Voltando à presente temporada, o final do jogo Marítimo-Tondela (2-1), da segunda jornada do campeonato, veio mostrar que os jogadores adversários também não vão à bola com a ideia de jogo de Lito Vidigal. O médio da equipa beirã, João Pedro, foi o portador dessa mensagem contra as constantes paragens do jogo provocadas pelas equipas de Vidigal: "O que sucedeu na segunda parte é uma vergonha. É o cartão de visita do futebol português".

Na classe da arbitragem, o comportamento no banco de Lito Vidigal também não é visto com bons olhos, uma vez que o polémico treinador é expulso com alguma frequência.

Lito Vidigal, de 51 anos, é treinador desde 2003. Começou no Elvas, e já esteve várias vezes no desemprego, mas a verdade é que trabalhou nas 18 temporadas que se disputaram desde que iniciou esta carreira. Natural de Angola, já admitiu, em várias entrevistas, que tem a plena convicção de que um dia treinará um dos chamados grandes do futebol português. Para já, com F. C. Porto, Benfica e Sporting só tem conquistado ódios. Todavia, vai-se defendendo dos ataques e continua a assegurar que não faz antijogo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG