Futebol

Sérgio Conceição e o regresso da Liga: "Não demos férias aos jogadores"

Sérgio Conceição e o regresso da Liga: "Não demos férias aos jogadores"

O treinador do F. C. Porto abordou, este sábado, o regresso da competição, garantindo que a equipa portistas está preparada para voltar ao trabalho: "Vamos começar com toda a força", disse.

Sérgio Conceição participou, este sábado, numa conversa em que também entraram Fernando Santos, Roberto Mancini, selecionador italiano, e Sinisa Mihajlovic, técnico do Bolonha. Além da conversa entre amigos, o treinador portista respondeu ainda a perguntas dos adeptos, uma delas entre o regresso da Liga no final de maio.

"Aquilo que foi feito, o que foi articulado com a Liga, FPF, Governo e DGS são coisas que nos ultrapassam. Estamos preparados para voltar, não demos férias aos jogadores. Não estou a criticar quem as tenha dado. Achei que isto mais tarde ou mais cedo ia recomeçar e achei por bem manter os jogadores ativos e focados num possível regresso. O que eu acho é pouco importante, o importante é que vamos começar na segunda-feira com toda a força. Vamo-nos preparar no Olival para que estarmos preparados quando se iniciar a competição", começou por dizer Sérgio Conceição na rubrica "F. C. Porto em casa".

O treinador dos azuis e brancos abordou ainda a saída de Óliver, que no último verão trocou o F. C. Porto pelo Sevilha. Conceição realçou que o jogador espanhol é "um miúdo fantástico" e salientou que há coisas que "não consegue controlar".

"Não podemos esquecer que o F. C. Porto vive dias difíceis. É difícil de segurar um jogador a um ano do fim do contrato, que tem grande vontade de ir embora e que acham que o ciclo acabou. Não posso contrariar uma semana de choro, em que ele teve a lágrima no canto do olho uma semana e a pedir para ir embora, porque não se sentia mais confortável aqui. Às vezes há mal entendidos, mas não estou a dizer que foi a Direção. Foi uma decisão em conjunto. A estima que tenho pelo Óliver, tinha quando cheguei e hoje também. Também fico com a lágrima no canto do olho quando passo na ponte D. Luís ou Arrábida. Mas há coisas que não sou capaz de controlar", finalizou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG