F. C. Porto

Sérgio Conceição: "Prefiro a pressão do primeiro lugar"

Sérgio Conceição: "Prefiro a pressão do primeiro lugar"

O treinador do F. C. Porto fez a antevisão do jogo com o Santa Clara, deste domingo (17 horas), frente ao único clube português que, esta época, bateu os dragões, neste caso na Taça da Liga. Defendendo que "não há jogos iguais", o técnico conta, no entanto, com muitas dificuldades em São Miguel, mas garante que os azuis e brancos estão preparados para ganhar os três pontos.

"É uma deslocação sempre difícil, frente a uma equipa que se organiza com alguma qualidade defensivamente. No jogo da Taça da Liga, tivemos ocasiões, algumas delas bem claras. Agora, cabe-nos fazer melhor do que nesse jogo, definir melhor e estar muito mais concentrados defensivamente. Se for assim, vamos buscar o que queremos, que são os três pontos", afirmou Sérgio Conceição.

Preparar a deslocação aos Açores "não é mais simples" devido ao conhecimento adquirido nesse jogo da Taça da Liga, diz. Mas: "É importante perceber aquilo que não se fez. Houve muita coisa que não correu bem nesse jogo: não estou a falar de empenho, vontade ou querer. Isso é uma coisa, fazer para que isso [vitória] aconteça é outra. Não é por esse jogo que vou deixar de acreditar na grande ambição que eles [jogadores] têm em todos os treinos e jogos. Este jogo vai ser diferente, porque queremos encaminhá-lo para os momentos que nos são mais favoráveis", explicou.

"Nas competições internas, somos a equipa teoricamente mais forte e temos de assumir isso. Acho que ninguém gosta de perder, mas umas pessoas demonstram mais que outras. Eu demonstro, vem cá para fora esse sentimento. Fiquei aziado por sair de uma prova em que queríamos chegar, no mínimo, à final four. Ainda por cima com um mau jogo. Estamos aqui para corrigir, aprender com erros", garantiu Conceição, que quer chegar à próxima paragem competitiva, para os jogos das seleções, no topo do campeonato.

"Estamos em primeiro, é verdade, mas o que conta é no fim. Em quatro anos, ganhamos dois [campeonatos]. Aqui, essa pressão de fazer melhor é diária. Prefiro ter a pressão de estar no primeiro lugar, do que estar em segundo. É mais confortável", destacou o treinador, que preferiu não fazer grandes comentários ao facto de a equipa de arbitragem do último, e polémico, F. C. Porto-Boavista não ter sido nomeada para esta jornada.

"O futebol é o que é. Por exemplo, fizemos uma das melhores exibições fora de casa na Champions [frente ao Milan] e eu tive nota 3 [num jornal desportivo]. Estava com esta aqui atravessada... Mas o importante é os jogadores terem notas 4 ou 5. O jornalista achava que o F. C. Porto devia ganhar 3-0, 4-0 e 5-0 e eu concordo. Taticamente, foi perfeito", referiu.

Autor do golo portista em San Siro, Luis Díaz continua a ser apontado como alvo de grandes equipas europeias e, a propósito, Conceição voltou a falar de dores de cabeça: "Não tenho dores de cabeça. E se tiver, é só uma dor de cabeça. Não pensamos no mercado, em nada disso, mas claro que percebo porque estão a perguntar. O Luis é um jogador fantástico, mas vinha do Barranquilla e potenciámos as suas qualidades".

PUB

De volta ao desafio deste domingo, Sérgio Conceição até anunciou o onze provável do Santa Clara, mas o do F. C. Porto fica, para já, no segredo dos deuses, até porque o técnico ainda não sabe se pode contar com os lesionados Marcano, Wendell e Uribe.

"Os primeiros a saber [o onze] são os jogadores e eles ainda não sabem, mas se calhar desconfiam. Todas as horas são importantes para saber a evolução das lesões, mas eles vão viajar e vai ser até ao último momento. Sabemos que o Wendell muito dificilmente estará apto. O Marcano tem tido uma boa evolução e o Matheus também. Não é fácil estarem disponíveis, mas os departamentos médicos são super evoluídos", finalizou. Sérgio Conceição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG