Espanha

Sergio Ramos liderou angariação de fundos no Real Madrid para combate à pandemia

Sergio Ramos liderou angariação de fundos no Real Madrid para combate à pandemia

Sergio Ramos, capitão do Real Madrid e da Seleção espanhola, liderou uma angariação de equipamentos médicos de combate à Covid-19 para hospitais, através da Unicef, com doações do plantel e do clube.

A contribuição do Real Madrid para o combate ao coronavírus em Espanha, com a colaboração da UNICEF, inclui 15 mil kits de deteção do Covid-19, mil equipamentos de proteção individual e 364571 máscaras respiratórias.

"Sou embaixador da UNICEF desde 2014 e, depois de entrarmos em contacto com eles, comprometeram-se pela primeira vez a levar os suprimentos médicos aos hospitais", anunciou Sergio Ramos no programa televisivo espanhol El Hormiguero.

Os jogadores do Real Madrid estudaram a maneira mais direta de ajudar, como informaram algumas fontes do clube contactadas pela agência EFE, e a urgência de suprimentos médicos nos hospitais levou à escolha de doações através da UNICEF.

"Para mim, como embaixador, é muito bonito. Fizemos uma doação muito importante e eles confirmam que chegará à Espanha na sexta-feira. É uma maneira de fazer com que todos entendam que podemos colaborar a qualquer momento", acrescentou.

Sérgio Ramos agradeceu a colaboração dos companheiros de equipa do Real Madrid e recordou a necessidade de "apoiar e ajudar" o país, que está "a passar por momentos muito difíceis e anormais", e que tem "muitas pessoas em grande sofrimento".

Neste momento, em que os campeonatos estão suspensos, o capitão do Real Madrid deixou o futebol em segundo plano, mas destacou o trabalho que os jogadores continuam a fazer em casa, cumprindo com os programas delineados pelo corpo técnico, no que toca à preparação física e alimentação.

"O Real Madrid, desde o primeiro momento, deu muita seriedade ao assunto. No primeiro dia em que paramos de treinar, enviaram-nos um programa de treino, com forte ênfase também na alimentação e descanso, para manter a forma e não perder ritmo. Embora isso seja secundário no momento, também é importante porque não sabemos quando voltará à competição", adiantou Sérgio Ramos.

A Espanha é já o segundo país com mais mortes (3.434 pessoas) devido à pandemia da Covid-19.