Tóquio2020

Simone Biles vai fazer um salto tão perigoso nos Jogos que nem o treinador quer ver

Simone Biles vai fazer um salto tão perigoso nos Jogos que nem o treinador quer ver

É considerado por muitos um dos movimentos mais complexos e perigosos da ginástica artística e só uma mulher é que conseguiu executá-lo em competição até hoje. Simone Biles, ginasta norte-americana de 24 anos, pretende repetir a proeza e tornar-se a primeira mulher a concretizar o salto Yurchenko com duplo mortal nos Jogos Olímpicos, em Tóquio. Algo que nem o treinador quer que ela tente.

Biles fez história na competição U.S. Classic, em maio, quando se tornou a primeira mulher a executar com sucesso o salto duplo de Yurchenko em provas oficiais. Agora, em Tóquio, a ginasta quer voltar a fazê-lo, com nova conquista no horizonte: ser a primeira mulher a concretizar o movimento nos Jogos Olímpico. E até já o fez novamente nos treinos, na quinta-feira, como pode ver no vídeo em baixo. O canal de televisão ESPN descreveu-o como "o maior salto Yurchenko com duplo mortal feito por ela até agora".

O salto Yurchenko com duplo mortal é uma rotina que historicamente era apenas executada por homens, consistindo numa roda para o trampolim, um salto de costas para a mesa e um duplo mortal no ar antes de pousar.

O movimento é tão perigoso que nem o treinador da atleta, Laurent Landi, quer que ela o tente nos Jogos Olímpicos de Tóquio, porque está a recuperar de uma lesão no tornozelo. Além disso, Laurent não acredita que o nível de dificuldade da execução combinado com o baixo valor dos pontos valha a pena o risco.

PUB

"Se ela realmente quiser fazer isso, vai ter que me implorar", disse Laurent, numa entrevista. "As pessoas parecem esquecer-se que é uma habilidade muito, muito perigosa... Apenas ter glória e estar [no] Código de Pontos não é suficiente".

Biles fará a estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio no domingo, durante a competição de qualificação de equipas femininas.

Se ela executar com sucesso o movimento nos Jogos Olímpicos, onde nenhuma mulher tentou até hoje, o salto tornar-se-á a quinta habilidade com o nome de Biles no Código de Pontos da ginástica, o livro de regras que divide o sistema de pontos para competições da modalidade.

Na estreia em Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, em 2016, Biles fez história ao subir ao pódio cinco vezes, com quatro medalhas de ouro (equipas, salto, solo e individual geral) e uma de bronze (trave olímpica).

Ginasta portuguesa também tem o nome no Código de Pontos: o "Martins"

Em abril, a ginasta portuguesa Filipa Martins, que também participará nos Jogos Olímpicos de Tóquio, fez história nos Europeus de ginástica artística, em Basileia, na Suíça, ao apresentar um elemento técnico inédito, da sua autoria, que passou a ser incluído no código de pontuação internacional, com o nome "Martins".

Recorde o vídeo partilhado pela ginasta do Acro Clube da Maia nas redes sociais em que mostra o trabalho desenvolvido ao longo de nove meses para executar o exercício que lhe valeu o reconhecimento mundial.

O JN foi até ao Acro Clube da Maia conversar com a Filipa Martins para conhecer melhor aquele exercício inédito e complexo. Veja aqui a reportagem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG