Euro2016

"Só não choro porque parecia mal", diz Fernando Santos

"Só não choro porque parecia mal", diz Fernando Santos

O novo selecionador nacional, Fernando Santos, assumiu, esta quarta-feira, que chegou ao patamar da carreira que sempre sonhou. "Só não choro porque parecia mal", confessou.

"É um momento de grande felicidade para mim", afirmou o técnico que passou pelo F.C. Porto, Benfica e Sporting. Nos últimos quatro anos esteve no comando técnico da Grécia, por isso está habituado ao ambiente de seleções e não se atemorizou com o projeto da Federação Portuguesa de Futebol: "Depois da conversa que mantive com o presidente, estou em total sintonia com aquilo que é este projeto", declarou na sessão de apresentação, que se realizou ao início da tarde na sede da Federação Portuguesa de Futebol.

"Venho para somar.Todos juntos vamos levar a bom porto e executar aquilo que nos esperam, como bons profissionais que somos", sublinhou Fernando Santos, que está confiante no apuramento para o Euro 2016: "Também no futebol o mais importante é ganhar. Em França lá estaremos para dar um grande orgulho aos portugueses".

A nova equipa técnica é composta por Fernando Santos(selecionador nacional), Ilídio Vale (treinador nacional A), Fernando Justino e João Carlos Costa (adjuntos) e Ricardo Santos (scouting).

"Só não choro porque parecia mal"

Após a sessão de apresentação, Fernando Santos realizou a sua primeira conferência de imprensa como selecionador nacional e apelou ao sentimento para explicar a forma como está a viver esta nova fase da carreira.

"É um momento de enorme satisfação para mim. Só não choro porque parecia mal. Há muita gente que não está cá... O meu pai estará radiante de felicidade, esteja lá onde estiver. Acho que isto responde a tudo o que posso sentir neste momento", assumiu o técnico.

Já em relação à pré-convocatória que tem de ser formalizada já esta sexta-feira, Fernando Santos referiu que "todos os jogadores contam", colocando, assim, uma tábua rasa sobre as polémicas que alguns internacionais como Ricardo Carvalho e Danny tiveram com o anterior selecionador Paulo Bento. "Não tive nenhuma indicação de qualquer impedimento por parte do presidente da Federação", disse.

O castigo de oito jogos aplicado pela FIFA após a expulsão no Mundial (ainda enquanto selecionador da Grécia), será contornado por Ilídio Vale. "Um técnico de excelência", elogiou Santos. "Não é tudo perfeitamente igual. Vamos preparar o que podem ser os imponderáveis do próprio jogo. E com a liberdade para em alguns casos tomar as suas decisões. É por isso que foi escolhido, pela sua competência, e também pela enorme relação que temos".

Por fim, a renovação também foi abordada pelo selecionador de uma forma taxativa: "Para mim não há bilhetes de identidade. Se estiver bem, pode entrar", sublinhou, acrescentando: "Seguramente estaremos muito atentos à formação".