Liga dos Campeões

Só valente pontapé na crise azul e branca pode criar uma noite histórica

Só valente pontapé na crise azul e branca pode criar uma noite histórica

Os dragões tentam a primeira vitória de sempre sobre a Juventus, na 1.ª mão dos oitavos da Liga dos Campeões. O apuramento vale 10,5 milhões de euros. Casa vazia no Dragão significa 1,5 milhões em receita perdida.

O F. C. Porto já eliminou ou, pelo menos, ganhou nas provas europeias a todos os grandes clubes italianos, do Milan ao Inter, passando pela Roma, Lazio e Nápoles, com exceção da Juventus. Quebrar a tendência negativa (um empate e quatro vitórias da Juve em cinco duelos) é o desafio que se coloca aos dragões no jogo de hoje com os "bianconeri", relativo à 1.ª mão dos oitavos de final da Champions, que surge numa altura difícil para as duas equipas a nível interno.

Três empates seguidos na liga portuguesa colocaram o F. C. Porto a impensáveis 10 pontos do Sporting na luta pelo título. Quanto à formação de Turim, vem de uma derrota em Nápoles que a deixou a oito pontos do líder Inter, embora com um jogo a menos. Os tempos não estão para sorrisos dos dois lados e, na perspetiva azul e branca, só mesmo um grande safanão na recente crise de resultados pode valer uma noite histórica: acabar com a malapata de nunca ter ganho à Juventus significará também a ultrapassagem do F. C. Porto ao Benfica como o clube português com mais vitórias na Taça/Liga dos Campeões (ambos têm 114 triunfos).

Quatro anos depois de as duas equipas se terem defrontado na mesma fase da prova, o cenário de total favoritismo transalpino não se alterou. Os orçamentos não são comparáveis, o valor de mercado do plantel da Juventus é quase três vezes superior ao do F. C. Porto e em 2016/17 ainda Cristiano Ronaldo não estava em Turim (bisou no triunfo do Real Madrid sobre a Juve na final dessa Champions).

Com um bom registo diante da Juventus enquanto jogador (três vitórias, três empates e duas derrotas), Sérgio Conceição chegou no verão seguinte como sucessor de Nuno Espírito Santo no banco portista e prepara-se para disputar os oitavos da Champions pela terceira vez desde 2017/18. Repetir o apuramento que conseguiu há dois anos, diante da Roma, significará reforçar os cofres da SAD portista em 10,5 milhões de euros, muito importantes para compensar as perdas provocadas pela pandemia. Com as bancadas do Dragão vazias, o jogo de hoje equivale a 1,5 milhões de receita perdida em bilheteira.

Tecatito Corona pede um jogo de "coragem"

À procura do primeiro golo nesta edição da Liga dos Campeões, Corona é uma das armas portistas e deu a receita para um bom resultado dos dragões: "Temos de demonstrar esse caráter e essa coragem que caraterizam o F. C. Porto, sempre com uma mentalidade ganhadora e competitiva para fazermos o melhor possível". Sobre a motivação que resulta de estar nos oitavos de uma competição como a Champions, o mexicano foi claro: "Claro que é motivador. Todas as crianças sonham com este cenário e com momentos destes".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG