Futebol

Sporting apresenta resultado líquido positivo de 30,2 milhões de euros

Sporting apresenta resultado líquido positivo de 30,2 milhões de euros

O Sporting apresentou, este domingo, as contas do terceiro trimestre. O clube de Alvalade teve um resultado líquido positivo de 30,2 milhões de euros.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SAD do Sporting anunciou ter registado "o maior volume de negócios da história" e um resultado positivo de 30,2 milhões de euros, face aos 5,9 do período homólogo. No mesmo documento é ainda reportada uma redução do passivo em 20,8 milhões de euros.

Bruno Fernandes rende 41,187 milhões de euros

A transferência do médio Bruno Fernandes, que em janeiro trocou o Sporting pelo Manchester United, já se encontra também descrita no documento. Rendeu 41,187 milhões de euros, com 6,557 milhões de euros em comissões associados à venda. Cerca de 7,2 milhões, relacionados com o valor líquido contabilístico do ex-capitão, também entram na equação.

Bruno Fernandes mudou-se para Inglaterra por 80 milhões de euros (55 milhões fixos mais 25 milhões de variáveis) e foi a transferência mais cara do Sporting, superando a de João Mário, que em 2016 custou 40 milhões ao Inter de Milão.

Leia o comunicado na íntegra:

"A SPORTING CLUBE DE PORTUGAL - FUTEBOL, SAD (adiante Sporting SAD ou Sociedade) vem, nos termos e para efeitos do disposto no artigo 248.º A do Código dos Valores Mobiliários, comunicar o cumprimento dos seus deveres de prestação económica e financeira, referente ao período compreendido entre 1 de Julho de 2019 e 31 de Março de 2020, destacando que a Sociedade registou o maior volume de negócios da história do Sporting em termos homólogos (nove meses). Alguns highlights:

• Maior venda de sempre - Bruno Fernandes por 55 M€ fixos + 25 M€ condicionais;

• Rafael Leão condenado a pagar 16,5 M€ pela resolução ilícita do contrato de trabalho (este valor não está reflectido nas contas deste trimestre);

• Contratação do Treinador Rúben Amorim por 10 M€;

• Volume de negócios nos primeiros nove meses de 156,1 M€ (período homólogo 109,8 M€);

• Decréscimo salarial de 3 M€ (ou 6%) e de 10M€ (ou 16%) sem indemnizações face ao período homólogo;

• Resultado líquido positivo de 30,2 M€ (período homólogo -5,9 M€);

• Capital próprio positivo de 6,6 M€ (Junho 2019 negativo em 23,6 M€);

• Redução do passivo em 20,8 M€ onde 17 M€ são relativos amortização de dívida bancária.