Futebol

Sporting diz que queixa da Sampdoria à FIFA não tem fundamento jurídico

Sporting diz que queixa da Sampdoria à FIFA não tem fundamento jurídico

O Sporting defendeu, esta quarta-feira, que a queixa apresentada pela Sampdoria à FIFA, relativa a uma cláusula da transferência de Bruno Fernandes, não tem cabimento face a jurisprudência anterior, mas deixou a decisão nas mãos da FIFA.

Em comunicado, os leões referem "que está em curso o prazo para defesa do Clube relativamente a uma queixa apresentada na FIFA pela Sampdoria" e que "em causa está um diferendo jurídico entre os dois clubes relacionado com uma cláusula do contrato quando o jogador Bruno Fernandes se transferiu de Itália para Alvalade".

"Entende a Sporting CP - Futebol, SAD, suportada em jurisprudência do Tribunal Arbitral du Sport (TAS), que face à resolução unilateral do contrato no Verão de 2018 do jogador com o clube, que essa mesma cláusula perdeu o efeito jurídico, não tendo a U.C. Sampdoria, consequentemente, quaisquer direitos futuros nos contratos assinados posteriormente, nomeadamente a transferência para o Manchester United. A FIFA e, se necessário, os tribunais, esclarecerão cabalmente a questão", avança o documento publicado no site oficial dos leões.

Na opinião dos verdes e brancos', hoje elencada em comunicado, "suportada em jurisprudência do Tribunal Arbitral do Desporto", a resolução unilateral do contrato "no verão de 2018 do jogador" com os italianos faz com que a cláusula referida perca "o efeito jurídico, não tendo a Sampdoria, consequentemente, quaisquer direitos futuros assinados posteriormente, nomeadamente a transferência para o Manchester United".

O conjunto leonino contratou o médio ofensivo em 2018 e vendeu-o em janeiro aos "red devils", por uma verba inicial de 55 milhões de euros. A Sampdoria apresentou uma queixa contra o Sporting, em relação a obrigações financeiras estabelecidas na transferência de Bruno Fernandes e das quais os 'leões' serão devedores.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG