Inglaterra

Suarez e James os mais caros, Manchester United o mais gastador

Suarez e James os mais caros, Manchester United o mais gastador

O Manchester United foi o grande protagonista do mercado de transferências no arranque da temporada 2014/15 ao gastar perto de 200 milhões de euros em contratações de novos futebolistas, incluindo Di Maria, a terceira mais cara deste período.

Os "red devils" foram os que ficaram com os "cofres" mais vazios, mas as duas transferências mais caras deste arranque de época aconteceram em Espanha, com o FC Barcelona a pagar 81 ME para ter o ainda suspenso Luis Suarez, avançado uruguaio que atuava no Liverpool, e o Real Madrid a oferecer 80 ME por James Rodriguez, jogador colombiano que estava no AS Mónaco e que já passou pelo F.C. Porto.

O Manchester United pagou 75 ME ao Real Madrid pela aquisição de Angel Di Maria e, a minutos do encerramento do mercado, garantiu também o colombiano Falcao por empréstimo do AS Mónaco, uma cedência por um ano que, mesmo assim, deverá custar 20 ME aos "red devils", de acordo com a imprensa local.

As duas "estrelas" sul-americanas juntam-se a Luke Shaw (37 ME e ex-Southampton), Ander Herrera (36 ME e ex-Athletic Bilbau), Marcos Rojo (20 ME e ex-Sporting) e Daley Blind (17,5 ME ex-Ajax) no grupo "milionário" de contratações dos ingleses.

Ao todo, o Manchester United gastou perto de 200 ME para tentar regressar aos lugares cimeiros da Premier League, depois de na última temporada ter terminado num impensável sétimo lugar, que nem permite aos "red devils" a presença nas competições europeias.

O Chelsea, treinado por José Mourinho, também abriu os cordões à bolsa e reforçou-se em Espanha, tendo pagado um total de 58 ME ao Atlético Madrid para ter o avançado Diego Costa (38 ME) e defesa Filipe Luis (20 ME) e 33 ME ao FC Barcelona pelo médio Cesc Fabregas.

Também com o título inglês em mente, o Liverpool gastou e muito (cerca de 150 ME) na aquisição de novas figuras, com destaque para Adam Lallana, avançado que atuava no Southampton e que custou 31 ME, mas também Dejan Lovren (25 ME e ex-Southampton), Lazar Markovic (25 ME e ex-Benfica) e o polémico Mario Balotelli (20 ME e ex-AC Milan).

Na Premier League, destaque ainda para as contratações de Mangala (40 ME) e Fernando (15 ME), ambos jogadores que atuavam no F.C. Porto e que ingressaram no Manchester City, para o Arsenal, que foi buscar Alexis Sanchez ao FC Barcelona, por 37 ME, e para o Everton, que desembolsou 35 ME por Lukaku, o que faz do avançado belga o jogador mais caro da história do clube.

Em Espanha, como já tem sido habitual, FC Barcelona e Real Madrid protagonizaram as transferências mais caras do verão, mas desta vez tiveram também a concorrência do Atlético Madrid, atual campeão. Além de Suarez, o FC Barcelonainvestiu 20 ME no francês Mathieu, que atuava no Valência, e 18 ME no croata Rakitic, que representava o Sevilha.

Já oReal Madrid, além de James Rodriguez, também resolveu despender 30 ME no alemão Toni Kroos, que abandonou o Bayern Munique.

Normalmente mais comedido, o Atlético Madrid ultrapassou a fasquia dos 100 ME em contratações este verão, ao ir buscar o francês Griezmann à Real Sociedad, por 30 ME, e o croata Mandzukic ao Bayern Munique, por 22 ME. O italiano Cerci (ex-Torino) e o guarda-redes esloveno Oblak (ex-Benfica) custaram ambos 16 ME.

Na Alemanha, a transferência do marroquino Benatia da AS Roma para o Bayern Munique aparece no topo das mais caras desta temporada, tendo o clube bávaro pago 26 ME, seguido do italiano Ciro Immobile (ex-Torino), que custou ao Borussia Dortmund 19,4 ME.

Em Itália, o ex-portista Juan Iturbe, extremo argentino, ganhou o estatuto do mais caro da Serie A esta época, tendo custado 22 ME à AS Roma, que o foi buscar ao Hellas Verona, seguido do espanhol Morata, que deixou o Real Madrid e ingressou na Juventus a troco de 20 ME.

No campeonato de França, "refém" do fair-play financeiro, o Paris Saint-Germain apenas contratou David Luiz, que já atuou no Benfica, tendo pagado ao Chelsea 49,5 ME pela aquisição do central brasileiro.

Por seu lado, o AS Mónaco, que é agora treinado pelo português Leonardo Jardim, esteve inesperadamente bastante comedido, tendo a sua contratação mais cara sido o tunisino Abdennour, que atuava no Toulouse, por 13 ME.

Fora dos principais campeonatos, na lista das transferências mais caras aparece o Zenit São Peterburgo, que desembolsou 17 ME para ter o espanhol Javi Garcia, igualmente ex-jogador do Benfica e que estava no Manchester City, seguido do Spartak Moscovo, que pagou 11,5 ME pelo holandês Quincy Promes (ex-Twente), e o F.C. Porto, pelos 11 ME que gastou para contratar o espanhol Adrian ao Atlético Madrid.