Clássico

Subam o pano ao jogo da época e dos 44 milhões

Subam o pano ao jogo da época e dos 44 milhões

Finalmente, é sábado! F. C. Porto e Benfica entram em campo, protagonizando o clássico do ano, que pode deixar tudo mais claro em relação às contas do campeonato e às 14 jornadas que restam.

Além das contas do título, o jogo vale muitos milhões, porque só o primeiro classificado, o campeão nacional, é que garante a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões. Um prémio fixado em qualquer coisa como 44 milhões, que foi o que o Benfica encaixou esta época antes de começar a jogar na prova milionária. Depois, ainda se somam os prémios de performance desportiva: 2,7 milhões por vitória e 900 mil euros por empate.

Na presente Champions, o Benfica, que se ficou pela fase de grupos, ultrapassou a fasquia dos 50 milhões e ainda vai receber os direitos televisivos.

Não há que esconder: o F. C. Porto, de Sérgio Conceição, está mais pressionado e outro resultado que não seja a vitória praticamente hipoteca as aspirações do título. Por isso, espera-se um dragão à procura da vitória desde o primeiro minuto, frente a um Benfica que se apresenta no recinto portista com uma vantagem de sete pontos.

É um cenário completamente distinto em relação à época passada, quando era o Benfica quem estava praticamente obrigado a vencer, como veio a acontecer (1-2) com golos de João Félix e Rafa, já depois de Adrián López ter aberto o ativo. Nessa ocasião, o triunfo permitiu às águias ultrapassarem os dragões e embalarem para a conquista do campeonato.

Nas antevisões, nenhum dos treinadores quis atribuir ao jogo um caráter decisivo, o que não foi surpresa nenhuma, mas todos os protagonistas e os adeptos têm a consciência que só uma vitória portista poderá colocar a Liga a ferver e garantir emoções até maio.

A questão financeira também pesa no lado portista, pois a ausência na Champions League, na edição deste ano, após o fracasso na pré-eliminatória com o Krasnodar, inviabilizou a entrada de 44 milhões nos cofres da SAD. Os dragões caíram para a Liga Europa e, para já, limitaram-se a encaixar nove milhões.

Águia com maior cotação

Nos onzes prováveis que estarão em campo, o Benfica leva vantagem na cotação do mercado, segundo o site transfermarkt. As águias estão avaliadas em 229 milhões, enquanto os dragões se ficam pelos 155 milhões. Alex Telles (30 milhões) é o jogador mais valioso nos azuis e brancos, enquanto o central Rúben Dias (38 milhões) lidera o ranking na formação de Bruno Lage.

F. C. Porto

9 milhões

O valor garantido pelos dragões na presente campanha da Liga Europa.

570 mil euros

É o que vale uma vitória na Liga Europa. O empate fica-se pelos 190 mil.

Benfica

50 milhões

O saldo faturado pelas águias devido à presença e participação na Champions.

2,7 milhões

É o prémio do triunfo na Liga dos Campeões. Um empate vale 900 mil euros.