Tóquio 2020

Sunisa Lee é a nova campeã olímpica do concurso completo de ginástica artística

Sunisa Lee é a nova campeã olímpica do concurso completo de ginástica artística

A norte-americana Sunisa Lee sagrou-se esta quinta-feira campeã olímpica no concurso completo de ginástica artística, mantendo a tradição de domínio do país, que não contou com a superestrela Simone Biles.

Sunisa Lee, de apenas 18 anos, sucedeu a Biles no mais alto lugar do pódio, ao terminar a final com um total de 57,433 pontos, impondo-se à brasileira Rebeca Andrade (57,298) e à russa Angelina Melnikova (57,199), que conquistaram a medalha de prata e de bronze, respetivamente.

A vitória de Sunisa Lee mantém o ouro olímpico no "all around" feminino na posse dos Estados Unidos, que antes tinham vencido em Atenas 2004, Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016, este último conquistado por Biles, que abdicou de defender o título em Tóquio por razões de ordem psicológica.

Rebeca Andrade também fez história, ao tornar-se a primeira mulher, não apenas do Brasil, mas da América do Sul, a arrebatar uma medalha em provas de ginástica artística em Jogos Olímpicos, apesar de o país já ter quatro (uma das quais de ouro), no setor masculino.

A ginasta brasileira liderou mesmo o concurso até cerca de metade da final e apresentou-se no último aparelho - solo - com possibilidade de fazer história de forma ainda mais marcante, mas pequenas falhas e uma atuação irrepreensível de Lee inviabilizaram a medalha de ouro.

Depois de se ter resignado à prata na prova por equipas, numa prova vencida pela Rússia, a jovem norte-americana desforrou-se de Melnikova, sob o olhar atento de Biles, que prometia ser uma das grandes figuras em Tóquio 2020, mas desfalcou os Estados Unidos em plena final de terça-feira.

Biles, que no Rio 2016 conquistou também os títulos por equipas e em dois aparelhos (salto e solo), procurava tornar-se também a primeira ginasta a defender com sucesso o título olímpico no concurso completo em mais de 50 anos, desde a checoslovaca Vera Caslavska, em 1968.

PUB

Dominadora absoluta da ginástica desde 2013, a norte-americana qualificou-se para as cinco finais individuais em Tóquio 2020, mas está dependente da avaliação médica da federação para determinar se participa nas finais de aparelhos, agendadas entre 1 e 3 de agosto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG