Futsal

TAD valida castigo de quatro jogos à porta fechada ao Sporting por insultos homofóbicos

TAD valida castigo de quatro jogos à porta fechada ao Sporting por insultos homofóbicos

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) validou esta quarta-feira o castigo de quatro jogos à porta fechada aplicado ao Sporting pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), ao negar provimento a um recurso apresentado pelo clube. Acordão ainda é passível de recurso.

A sanção aplicada pelo órgão federativo, que na altura, sob a liderança de José Manuel Meirim, ainda condenou o clube ao pagamento de quatro mil euros, deve-se a insultos homofóbicos proferidos em dois jogos de futsal dos leões frente a Burinhosa e S. C. Braga, em outubro de 2018, no Pavilhão João Rocha.

A decisão, histórica por versar uma temática discriminatória de âmbito sexual, é ainda passível de recurso dos leões para o Tribunal Central Administrativo e, posterioremente para o Tribunal Supremo de Justiça.

Esta é a primeira vez que um castigo do CD (secção não profissional) aplicado na sequência de insultos homofóbicos - um jogador do Burinhosa e outro do Braga foram chamados de "paneleiro", por diversas vezes -, sai confirmado por um tribunal.

O TAD considerou provado que os dirigentes do Sporting "não procederam ao afastamento de qualquer um dos adeptos que proferiram as frases nem adotaram qualquer outra medida para cessar tal situação".

Os leões reagiram esta tarde em comunicado. "Em virtude da decisão tomada pelo Tribunal Arbitral do Desporto de confirmação do castigo de quatro jogos aplicado ao Sporting Clube de Portugal pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), devido a insultos proferidos por adeptos do Sporting CP que foram considerados homofóbicos, o Sporting CP reforça que é veementemente contra qualquer tipo de comportamento homofóbico, xenófobo, racista, insultuoso ou de qualquer natureza discriminatória ou violenta", pode ler-se no documento publicado no site oficial.

PUB

"Trata-se de uma decisão histórica por ser a primeira deste teor no âmbito referido, jamais tendo sido aplicada em situações idênticas, similares ou mais graves, estabelecendo assim um antes e um depois no tratamento das mesmas", salienta o clube leonino, anotando que "acatará a decisão, mas ficará assim atento, acompanhando com zelo as futuras decisões que venham a ser tomadas em situações da mesma natureza".

"O Clube espera que o CD da FPF passe a actuar em conformidade perante atitudes provocatórias e incendiárias de outros adeptos na alusão a comportamentos ilegais e violentos que celebram a morte de um adepto do Sporting CP, facto que nos parece a nós de maior relevância e gravidade. Estaremos de olhos abertos para que a Justiça permaneça, como deve, cega", completenta o Sporting.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG