Desporto

Telma Monteiro será a porta-estandarte de Portugal no Jogos Olímpicos

Telma Monteiro será a porta-estandarte de Portugal no Jogos Olímpicos

A judoca Telma Monteiro vai ser a porta-estandarte da missão portuguesa na cerimónia de abertura nos Jogos Olímpicos Londres2012, anunciou esta quinta-feira o Comité Olímpico de Portugal.

"A escolha obedeceu ao mesmo critério que tem sido aplicado nas últimas edições dos Jogos Olímpicos, premiando, sobretudo, o currículo desportivo dos atletas", informou o COP, em comunicado.

Segundo o COP, ao currículo da atleta junta-se também a atitude de Telma Monteiro fora do tatami: "O atual segundo lugar do ranking mundial e título de campeã da Europa que ostenta foram extremamente importantes nesta escolha, bem como o facto de ser uma cidadã exemplar e responsável, vista, muito justamente, como uma referência para milhões de portugueses".

Aos 26 anos, Telma Monteiro vai para os seus terceiros Jogos Olímpicos como segunda do "ranking" de apuramento olímpico na categoria de -57 kg e tem no currículo, entre outros, quatro títulos europeus, uma medalha de prata e três de bronze - subiu ao pódio sempre que competiu -, três medalhas de prata e uma de bronze em mundiais, tendo ganho ainda o Masters de 2011 e o Grand Slam de Paris de 2012, bem como inúmeras Taças do Mundo.

O anúncio estava previsto apenas para Londres, a 26 de julho, véspera da cerimónia, e a mudança de orientação "deveu-se ao facto de a Missão Olímpica entender que não deve criar junto dos atletas qualquer desgaste adicional no que se refere a esta nomeação, face às naturais expetativas de vários elementos".

"Realçamos, no entanto, que se tratou de uma escolha difícil, pois, felizmente, há vários atletas com grande currículo desportivo e conduta social de referência que mereceriam de igual forma este reconhecimento, inerente à atribuição desta honrosa tarefa", acrescenta a nota.

Em declarações à Lusa, Telma Monteiro já tinha assumido que seria um "orgulho" e que "ficaria supercontente" se lhe coubesse essa "responsabilidade".

A finalizar, o dirigente deixa uma certeza: "Mais do que nunca, a Missão a Londres 2012 está unida e determinada a honrar Portugal".