Tóquio

Tem 118 anos e vai carregar a chama olímpica no Japão

Tem 118 anos e vai carregar a chama olímpica no Japão

Com 118 anos, a japonesa Kane Tanaka, considerada a pessoa mais velha do mundo e que sobreviveu a dois cancros e a duas pandemias, vai levar a chama olímpica, em maio deste ano, ao passar por Shime, na sua cidade natal de Fukuoka. O percurso vai começar na cidade de Fukushima a 25 de março.

Em conversa com a televisão americana CNN, Tanaka revelou ter um novo par de sapatilhas, oferecido pela família, para o evento. Um dos cinco netos da centenária, Eiji Tanaka, afirmou que, mesmo com idade avançada, a avó "mantém um estilo de vida ativo". "Queremos que outras pessoas vejam isto e se sintam inspiradas e que não pensem que a idade é uma barreira", sublinhou. A família irá empurrar a cadeira de rodas durante um percurso de 100 metros nos Jogos Olímpicos, ainda assim, Tanaka está determinada a caminhar os últimos passos até ao próximo corredor.

Kane Tanaka teve quatro filhos e trabalhou numa loja de arroz, da qual o marido era proprietário, até aos 103 anos. Ao longo da sua vida passou por duas guerras mundiais e pela gripe espanhola de 1918. Ainda assim, o neto garante que a avó é "progressista" e que "gosta muito de viver o presente". Nascida em 1903 é quase tão antiga quanto os Jogos Olímpicos que iniciaram em 1896. Se as edições de verão e inverno forem consideradas, esta será a 49º edição vivida pela japonesa.

Takana, se as condições de saúde e meteorológicas permitirem, fatores que considera indispensáveis, irá protagonizar um recorde em relação às idades dos portadores de chamas olímpicas. Os anteriores foram Aida Gemanque, do Brasil, que acendeu a chama nos Jogos de verão do Rio 2016 com 106 anos, e o jogador de ténis de mesa Alexander Kaptarenko, que correu com a tocha nos Jogos de Inverno de Sochi de 2014, aos 101 anos de idade.

Contudo, este não é o único recorde que tem em mente. Em 2019, o livro de recordes Guinness certificou Tanaka como a pessoa viva mais velha do mundo, mas o objetivo da japonesa é conseguir o recorde da pessoa mais velha de sempre conquistado pela francesa Jeanne Louise Calment, de 122 anos.

Atualmente, vive num lar onde, diariamente, acorda às seis horas da manhã e ocupa o seu tempo com jogos de tabuleiro. Devido à pandemia, a família não visita a centenária há 18 meses, mas acreditam que o segredo para tanta saúde seja uma "mente sã corpo são". Acrescentaram ainda que contam que a japonesa não esteja a fazer qualquer treino para a caminhada da chama, mas que o entusiasmo por fazer parte dos Jogos Olímpicos é o único combustível necessário.

Em janeiro de 2020, a neta Junko Tanaka criou uma conta na rede social Twitter sobre a "supercentenária" para "as pessoas se inspirarem". "Criei a conta na rede social porque acho incrível que alguém com 118 anos beba coca-cola e jogue Othello", afirmou.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG