Futebol

Tiago Sá: da referência Buffon, às ilhas gregas e até aos 18 anos no Braga

Tiago Sá: da referência Buffon, às ilhas gregas e até aos 18 anos no Braga

Guarda-redes que está quase há duas décadas recordou o percurso na carreira e sonha ser campeão nacional.

Das ruas de Vila Verde às escolinhas do Braga, Tiago Sá é um dos jogadores que está há mais tempo ao serviço do clube arsenalista. Começou em 2004 como avançado, mas depois de ter jogado na baliza muitas vezes, nunca mais deixou a posição. "Pedi umas luvas ao meu pai, troquei o equipamento de avançado pelo de guarda-redes e até hoje nunca larguei a baliza", disse, em entrevista aos meios do clube.

Competitivo desde criança, recordou o primo como influência para ter a vontade de vencer. " Quando era miúdo tinha um primo da minha idade que jogava sempre contra mim. Eu e ele ficávamos sempre em equipas diferentes porque éramos os que jogavam melhor, então havia ali uma competitividade muito grande entre nós para ver quem ganhava. Desde pequenino que luto sempre para ganhar", explicou.

PUB

Quase 20 anos no Braga, referiu passar mais tempo nas instalações minhotas do que em casa. "É uma verdadeira família, a minha casa, não existe outra forma de o dizer. São muitos anos, muitos anos de formação, muitos anos aqui na equipa A. Esta pré-época foi a minha 10ª consecutiva porque ainda era júnior e fiz a pré-época com a equipa principal. Passo mais horas aqui do que na minha casa. Quando era miúdo ia para o Estádio 1º de Maio treinar durante a tarde e só regressava à noite a casa entre 20 e as 21 horas. Já convivo com as pessoas do Clube há muitos anos e são parte da minha história", disse.

Tiago Sá explicou que foi com Abel Ferreira que teve a melhor época da carreira. "A época em que fiz mais de 30 jogos na 1º liga com o Abel foi muito importante para mim porque foi a minha época de afirmação. Era jovem, tinha 23 anos quando comecei e não estava à espera porque tinha um grande guarda-redes a trabalhar comigo, o Marafona. Na altura o Matheus estava lesionado e o mister Abel apostou em mim, isso marcou-me muito".

Nas referências futebolistas, destacou duas figuras do futebol mundial. "Casillas e Buffon. O Casillas por durante alguns anos ter a oportunidade de jogar contra ele algumas vezes em Portugal e trocar a camisola. Buffon pelo número de anos que esteve no top, para mim é o melhor da história por isso. Não é fácil estar mais de 20 anos a jogar ao mais alto nível", reiterou.

Ainda com vários objetivos na carreira, referiu que conquistar o campeonato nacional com o Braga e competir na Liga dos Campeões estão no topo da lista. Em género de curiosidade, escolheu as Ilhas Gregas como a viagem de sonho e o videojogo Call of Duty como passatempo preferido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG