Grande Prémio JN

Contte lança sprint supersónico e arranca vitória ao centímetro

Contte lança sprint supersónico e arranca vitória ao centímetro

Ciclista argentino do Louletano foi o mais forte na quarta etapa do Grande Prémio JN num duelo intenso decidido em cima da linha de meta em Vila Real. Joaquim Silva resiste aos ataques e segura a camisola amarela

Emocionante chegada ao sprint na quarta etapa do Grande Prémio JN, com Tomas Contte (Louletano) a arrancar a vitória por escassos centímetros, numa disputada chegada em Vila Real. O argentino da formação algarvia teve um derradeiro assomo de força na reta da meta, e lançou-se para a vitória, superando César Martingil (Atum General/Tavira) que viu o êxito escapar-lhe numa fração de segundo.

Na compacta chegada do pelotão veio o camisola amarela Joaquim Silva (Taver/Measindot/Mortágua), que por mais um dia segurou a liderança da corrida, defendo-se bem dos vários ataques dos rivais, que desde cedo tentaram impor um ritmo diabólico na etapa.

Ainda no primeiro terço da tirada formou-se uma fuga, com 12 corredores, que aproveitando o terreno inclinado cavaram uma vantagem que chegou a ser superior a dois minutos e meio, e que entregou a liderança virtual a Henrique Casimiro (Kelly/Simoldes/Oliveirense).

Percebendo a ameaça, a formação de Mortágua tentou assumir a perseguição para proteger a amarela de Joaquim Silva, mas foi só quando teve um decisivo apoio da W52/F.C. Porto, que a vantagem dos fugitivos começou a diminuir, acabando por ser anulada a 15 quilómetros da meta, na derradeira subida.

Aí, as rédeas do pelotão foram assumidas pela equipa de Tavira, na preparação do sprint para César Martingil, num trabalho exemplar, que quase teve êxito. Isto porque Tomás Contte, um dos mais exímios sprinters do pelotão, aproveitou esse embalo, e entrando bem na derradeira curva, seguiu na roda de Martingil, para, nos últimos metros, o superar com mais potência, surgindo António Carvalho (Efapel) no terceiro posto.

PUB

Ainda assim, esta incursão por Trás-os-Montes acabou por não ser tão decisiva para as contas da classificação geral como se esperava, sendo que a verdadeira ameaça para liderança de Joaquim Silva deve surgir este sábado, no penúltimo dia da prova, na ligação de 132 quilómetros, com partida e chegada em Valongo, e com uma difícil incursão pela Monte da Penha, em Guimarães. Ricardo Vilela (W52/FC Porto) e Alejandro Marque (Atum General/Tavira), estão a 25 segundos do líder, e Frederico Figueiredo (Efapel) a 29, e terão nesta tirada de dar o máximo para manterem as ambições de vitória.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG