Futebol

Treinadores fazem cara feia à sexta-feira gorda

Treinadores fazem cara feia à sexta-feira gorda

Falta pouco mais de um mês para o Carnaval, mas hoje já se comemora uma espécie de sexta-feira gorda, que antecede o Entrudo.

À boleia da analogia, o que se pretende é salientar que há muita bola no arranque da 17.ª jornada, a última da primeira volta, mas a calendarização e os horários estão longe de serem consensuais e agradar à "tribo" da bola.

Os principais jogos de cartaz, que envolvem quatro dos cinco primeiros classificados, jogam-se, a partir das 19 horas, no Dragão, no F. C. Porto-Braga, e, às 21.15 horas, em Alvalade, no dérbi Sporting-Benfica.

Na antevisão, Bruno Lage, Sérgio Conceição e Jorge Silas foram unânimes em lamentar que os pratos fortes se joguem numa sexta-feira à noite e com horários tardios. Rúben Amorim, que assumiu o comando do Braga há duas semanas, foi o menos assertivo, fintando à questão que foi colocada pelo JN aos treinadores.

No clássico, o mais certo é Lage e Silas terminarem as respetivas análises já depois da meia noite. O que não será o mais indicado para promover o "produto futebol". No arranque da temporada, Sónia Carneiro, diretora-executiva da Liga, anunciou a intenção de limitar o número de jogos em dias da semana, o que mereceu o aplauso dos clubes e, sobretudo, dos adeptos. Ao final da primeira volta, na época passada, tinham-se disputado 47 jogos em dias da semana, maioritariamente às sextas e segundas-feiras. Esta época, de facto, o número é menor, ficando-se pelos 42.

Curiosamente, F. C. Porto e Benfica vão repetir a entrada em campo numa sexta-feira, depois de terem medido forças com o Moreirense e Aves, respetivamente, há oito dias.

A "final four" da Taça da Liga, que se joga em Braga na próxima semana, foi decisiva para a marcação dos jogos desta noite. A Comissão Permanente de Calendários, que é composta pelos operadores televisivos, os três grandes, Tondela, Gil Vicente, Mafra e Leixões, e Helena Pires, também diretora-executiva da Liga, manteve o critério que tem seguido na presente época. "A Comissão seguiu o princípio que tem aplicado de priorizar para sexta-feira o agendamento dos jogos de equipas que disputem encontros na terça-feira seguinte", explicou, ao JN, fonte da Liga.
Ora, na próxima terça-feira há um Braga-Sporting, das meias-finais da Taça da Liga. O Vitória-F. C. Porto joga-se no dia seguinte.

Martha Gens, líder da Associação Portuguesa de Defesa do Adepto (APDA), lembra que o dérbi é um dos jogos mais aguardados pelos adeptos. "O problema está na forma como está montada a máquina dos direitos televisivos e da inação dos clubes, que não exercem pressão para alterar os horários. Deviam proteger os adeptos a todo o custo. As prioridades estão invertidas", faz notar, deixando uma conclusão: "Sem adeptos, não há Ronaldos".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG