Liga

Tudo mudou há um mês e a bola deixou de rolar

Tudo mudou há um mês e a bola deixou de rolar

Na altura, ninguém sabia mas o Leixões-Farense, que fechou a 24.ª jornada da LigaPro, foi o último jogo das ligas profissionais antes da paragem, por força da pandemia.

Com o apito final desse jogo, disputado no Estádio do Mar, que acabou com uma igualdade (1-1), a bola deixou de rolar em Portugal. Estávamos a 9 de março. Três dias depois, a 12 de março, a Liga oficializava a suspensão dos campeonatos por tempo indeterminado. Faz hoje um mês.

E agora? É a pergunta que se impõe e que todos os agentes da bola colocam diariamente. Sem datas concretas e uma mão cheia de incertezas, os clubes continuam a reunir com a Liga e os jogadores treinam, individualmente, em casa.

A maioria dos clubes, segundo apurou o JN, tem a convicção que os campeonatos irão ser retomados, até de forma a atenuar os efeitos da crise que se começa a sentir, sobretudo nos mais pequenos, e também por isso a Liga já elaborou um plano de ação para o regresso progressivo à competição.

"Tudo o que possa acontecer está muito condicionado pelas datas.´Uma coisa é começar a treinar no final de abril/início de maio para competir em junho. Outra coisa é se for para competir em julho. Se eles tiverem três semanas para treinar antes do jogo acho que é mais do que suficiente", explica, ao JN, José Soares, professor de Fisiologia na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto.

Com 10 jornadas por disputar, poderá estar em cima da mesa um cenário de desafios de três em três dias, o que depois de uma paragem coloca alguns desafios e constrangimentos à gestão do plantel. "Sou um bocado crítico em relação a isto tudo. O futebol, às vezes, pensa que está um bocadinho acima das regras. Depois desta paragem, não faz grande sentido ter essa cadência de jogos. O risco de lesões irá aumentar significativamente e os jogos vão ter uma intensidade mais baixa", aponta José Soares, que compreende, porém, o "contexto especial que obriga todos a fazer sacrifícios". "Se o futebol se afunda, os jogadores também se afundam", vinca, resignado.

pré-época atípica

As três semanas serão uma espécie de "pré-época atípica". "As pré-épocas costumam ser recheadas de jogos e neste caso isso não vai acontecer", acrescenta José Soares, que aponta a "resistência como a principal característica que se perde com o destreino".

Comissão reúne de três em três dias

Desde que a Liga anunciou a suspensão dos campeonatos, a Comissão Permanente de Calendários tem reunido, de três em três dias, com o objetivo de analisar a situação e procurar soluções.

Ao que o JN apurou, o organismo irá debruçar-se, amanhã, sobre a possibilidade das equipas regressarem aos treinos. Não só relativamente às datas, mas à forma como tal cenário poderá ser viabilizado.

Nacional regressa amanhã ao ativo

A equipa madeirense, líder da LigaPro, será a primeira a regressar ao trabalho de campo. O plantel terá grupos de dois jogadores e cada um irá treinar uma hora em meio relvado, a partir de amanhã. "Será uma corrida higiénica", explicou o presidente Rui Alves à Sport TV.

Friburgo é exceção na Alemanha

Na Alemanha, só há uma equipa que ainda não regressou aos treinos: o Friburgo. As restantes 17 equipas da Bundesliga já trabalham, em grupos reduzidos e com distâncias de segurança. O Bayern Munique é o líder isolado do campeonato.

12 março - A Liga anuncia a suspensão dos campeonatos por tempo indeterminado.

17 março - A UEFA anuncia o adiamento do Campeonato da Europa. O torneio irá realizar-se em 2021.

27 março - A Federação Portuguesa de Futebol cancela os campeonatos de futebol e futsal dos escalões de formação.

5 abril - UEFA nega que o presidente Aleksander Ceferin tenha dado indicações para os campeonatos terminarem até 3 de agosto.

6 abril - Belenenses SAD é a primeira equipa a anunciar o recurso ao lay-off. Seguem-se Chaves, Leixões e Penafiel, da LigaPro.

7 abril - Clubes criam pacto para não contratarem jogadores que rescindam unilateralmente.

8 abril - Federação Portuguesa de Futebol cancela campeonatos seniores de futebol e futsal, masculinos e femininos.

Outras Notícias