Proposta

UEFA pode obrigar os clubes a terem futebol feminino

UEFA pode obrigar os clubes a terem futebol feminino

Há uma proposta em curso para que os clubes participantes na fase de grupos das competições europeias sejam obrigados a criar uma equipa de futebol feminino.

O crescimento do futebol feminino pode levar os clubes participantes na fase de grupos das competições europeias a terem de criar uma equipa feminina. Pelo menos existe uma proposta em curso no plano da UEFA, mas ainda tem de ser aprovada antes de entrar em prática a partir da época de 2021/22.

No entanto, segundo apurou o JN junto de fonte conhecedora do processo, a criação de uma equipa feminina não tem de ser necessariamente sénior. Ou seja, um clube que participe nas provas europeias pode avançar com uma formação dos escalões de formação para preencher os requisitos ainda em estudo.

Aquilo que está nos planos da UEFA já entrou em prática na Conmebol, a Confederação Sul-Americana de Futebol. Os clubes que participaram, esta época, na Copa Libertadores e na Copa Sul-Americana tinham de ter uma equipa feminina, fosse sénior ou no futebol de formação. A Confederação Brasileira de Futebol foi ainda mais longe e aplicou a mesma medida aos clubes que participam na Série A.

O Comité Executivo da UEFA vai reunir-se em dezembro, em Nyon, e é natural que esta proposta seja discutida, assim como no congresso do organismo que tutela o futebol europeu, agendado para março do próximo ano.

No atual elenco dos clubes portugueses que estão nas provas europeias, Benfica, Sporting, Braga e Vitória de Guimarães têm equipa de futebol feminino. O F. C. Porto é a exceção.

Outras Notícias