Covid-19

Valência critica comportamento do treinador da Atalanta

Valência critica comportamento do treinador da Atalanta

O Valência lamentou, este domingo, que o treinador da Atalanta, Gian Piero Gasperini, que admitiu ter tido sintomas compatíveis com covid-19 no jogo entre ambos os clubes, a 10 de março, não tenha tomado medidas preventivas.

O treinador da Atlanta, Gian Piero Gasperini, admitiu ter tido sintomas compatíveis com a covid-19 um dia antes do encontro da Liga dos Campeões com o Valência, disputado a 10 de março e à porta fechada, devido à pandemia.

Em entrevista à "Gazzetta dello Sport", Gian Piero Gasperini explicou que começou a sentir-se mal a 9 de março, um dia antes do jogo da segunda mão dos oitavos de final da Champions.

"Eu não estava com febre, mas sentia-me destruído e como se tivesse febre de 40 graus", afirmou o treinador, explicando que quando regressou a Bérgamo, depois do jogo, a cidade "parecia uma guerra, com ambulâncias a passar de dois em dois minutos".

"À noite, sempre a piorar, pensei: se for ao hospital o que vai acontecer comigo, tive medo de morrer", admitiu Gasperini, de 62 anos, que acabou por recuperar sem necessitar de internamento.

Após a revelação, o Valência emitiu um comunicado em que "expressa publicamente surpresa" pelo facto de Gasperini reconhecer que, no dia anterior e durante o jogo no Mestalla, estava ciente de ser portador de sintomas compatíveis com o novo coronavírus e não ter tomado medidas preventivas.

O clube espanhol adianta ainda que, no caso de o treinador estar na altura infetado, Gian Piero Gasperini colocou em risco muitas pessoas durante a viagem e permanência em Valência.

Muitos especialistas apontaram o encontro da 1.ª mão, disputado em Milão, a 19 de fevereiro, como um dos grandes focos de contágio da doença na Europa, sobretudo em Espanha e Itália, dois dos países mais afetados do continente - 27127 e 33415 óbitos, respetivamente.

O jogo da segunda mão, em Valência, já foi à porta fechada, numa altura em que a pandemia começava a alastrar.

Cinco dias depois, a 15 de março, o central argentino ex-Benfica Ezequiel Garay testou positivo para a covid-19 e quatro dias depois foi revelado que 35% da equipa de Valência, na qual alinham os portugueses Gonçalo Guedes e Thierry Correia, também estava infetada com o novo coronavírus.

Gian Piero Gasperini referiu que os testes serológicos realizados há 10 dias à equipa da Atalanta confirmam que teve covid-19, acrescentando: "tenho anticorpos, mas isso não significa que esteja imune".