Futebol

Varandas para as claques: "Julgam que mandam no Sporting, mas não mandam"

Varandas para as claques: "Julgam que mandam no Sporting, mas não mandam"

Após a vitória do Sporting frente ao Portimonense em Alvalade, Frederico Varandas reagiu às agressões a elementos da direção e garantiu, que com esta direção, "as claques nunca mais voltarão a ter privilégios".

"A seguir ao ataque de Alcochete, já presenciámos uma invasão a uma garagem e a uma bancada de um pavilhão, a um arremesso de pedras que atingiram e danificaram um carro de um elemento do conselho diretivo. E hoje, dois elementos e uma filha sofreram uma emboscada. Cerca de seis elementos cobardes pontapearam um vogal [Miguel Afonso], um segurança, cuspiram na cara de uma miúda de 16 anos. Isto é que se tem vindo a passar há mais de 10 anos. Um episódio como este levou a que um presidente se demitisse. Curiosamente, o presidente desta claque [JuveLeo] mantém-se", começou por dizer o líder dos leões, sublinhando que mais nenhum grupo organizado terá privilégios enquanto durar o mandato.

"Claque esta que, curiosamente, na primeira volta, saímos de Portimão em primeiro lugar e eu fui ofendido. À terceira jornada. Quando o Sporting era líder do campeonato. O que mudou? Os privilégios que estes senhores não têm e que com esta direção nunca mais voltam a ter. E se julgam que, por cobardemente, amedrontar a direção recua... É fácil recuar. Quando temos família em casa a perguntar o que estamos aqui a fazer. Se vale a pena. Mas vale, porque nós amamos este clube. Clube que eles dizem que é deles mas não é. É dos sócios do Sporting. Mas também vai chegar a um momento que não pode ser só esta direção a bater o pé. Em causa está a soberania do Sporting. Estes senhores pensam que mandam no Sporting, mas não mandam nem nunca vão mandar", concluiu.

Este domingo, depois do jogo de futsal entre o Sporting e o Benfica, no Pavilhão João Rocha, que os leões venceram (2-0), o vice-presidente dos leões Filipe Osório de Castro e o vogal Miguel Afonso, bem como a filha, foram agredidos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG