Desporto

Vasco Azevedo é tricampeão na maratona de Lisboa

Vasco Azevedo é tricampeão na maratona de Lisboa

Vasco Azevedo, do Sporting de Lamego, conquistou este domingo pela terceira vez consecutiva a Maratona de Lisboa, prova que serve igualmente para atribuir o título de campeão nacional da especialidade.

No sector feminino, registou-se uma estreia no lugar mais alto do pódio, para Anabela Tavares (Arrudense), que aqui fez a segunda maratona da sua carreira, após uma estreia auspiciosa, também com vitória, há dois meses, no Algarve.

Com partida e chegada no estádio 1.º de Maio, e um circuito que levou o milhar e meio de atletas até à zona ribeirinha (meio da corrida no Cais do Sodré), a prova tinha no atleta de Lamego o grande favorito, estatuto que confirmou, com 2:22.04 horas como tempo final.

Na prova, começou por se destacar o ucraniano Anatoli Arzhekhovski (seria segundo, com 2:25.25), com um trio perseguidor, onde estava aquele que viria a ser o vencedor, a alguma distância.

Ao quilómetros 26, o ucraniano foi apanhado por Vasco Azevedo, mantendo-se "na cola" deste, até aos últimos dois quilómetros, ficando para trás na subida da avenida Almirante Reis.

Para Vasco Azevedo, este é, aos 37 anos, o quarto título na maratona, ficando no entanto a marca deste domingo um pouco distante do seu recorde pessoal, de 2:18.22, na maratona de Macau, há três anos.

"Para mim, continua a ser a mesma alegria ganhar. Não é fácil chegar aqui em boa forma, eu que trabalho na construção civil", explicou Vasco Azevedo, que vive e treina em Lamego.

PUB

Para se apresentar ao melhor nível em Lisboa, tem de correr diaramente cerca de duas horas diárias, durante dois meses, o que confessa "nem sempre é fácil de conciliar com o trabalho".

História diferente teve a maratona feminina, já que Anabela Tavares, 33 anos, andou sempre na frente, "cavando" uma diferença para a russa Larisa Andronova de mais de cinco minutos na meta - 2:50.20 contra 2:55.33.

Anabela Tavares, com boa experiência em meias-maratonas, só se estreou na distância mais longa há dois meses, ganhando em Faro, na II Maratona do Algarve, com 2:54.49.

Tudo desaconselhava que voltasse a correr já nova maratona, mas a experiência correra tão bem que aceitou o "desafio" de tentar ser campeã nacional.

"Pois, não era para ser já... Mas vim porque era campeonato de Portugal e o meu tempo no Algarve dava-me expectativas...", reconhece a atleta, que acabou por melhorar o recorde pessoal em quatro minutos e meio.

Sem problemas na corrida - "sim, foi tudo muito fácil", admitiu -, a nova campeã acabou por emocionar-se na cerimónia de entrega das medalhas e promete treinar mais ainda, com o objectivo de melhorar e revalidar o título no próximo ano.

A par da maratona realizaram-se várias outras competições, com destaque para uma maratona por estafetas, ganha em masculinos pelo GDR Reboleira (2:17.10) e em femininos pela Açoreana C. Banif (3:10.06).

Pela terceiro ano consecutivo, a prova, que tradicionalmente acabava na Praça do Município, terminou no estádio 1.º de Maio, mas desta vez com uma desagradável surpresa para a organização - as obras no relvado, que se previam acabadas há um mês, ainda continuam e o panorama era desolador, com escavadoras e muitos montes de terra.

"Um muito mau 'cartão de visita' para uma maratona que aposta na presença dos atletas estrangeiros...", reconheceu António Campos, director da Xistarca, organizadora da competição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG