No encontro entre a Hungria e Inglaterra, os jogadores da equipa visitante foram alvo de insultos racistas durante o jogo, com Raheem Sterling a ser um dos principais afetados, mas responderam com uma goleada e gestos irónicos.

Futebol

Jogadores ingleses responderam ao racismo com goleada e ironia

Jogadores ingleses responderam ao racismo com goleada e ironia

O ambiente nos jogos na Hungria não tem sido o melhor nos últimos tempos. Os 'ultras' húngaros são conhecidos por entoar cânticos e fazer gestos racistas, xenófobos e homofóbicos, como aconteceu, por exemplo, no Euro 2020, onde insultaram Cristiano Ronaldo no jogo contra Portugal. A UEFA castigou a Federação Húngara com três jogos à porta fechada.

Antes deste encontro com a Inglaterra, de qualificação para o Mundial 2022, já seria expectável que os jogadores fossem assobiados por colocar um joelho no relvado, gesto contra o racismo. Isso verificou-se, mas o incidente com Raheem Sterling foi o mais marcante.

O extremo do Manchester City marcou e tirou a camisola para mostrar uma mensagem de homenagem a um amigo que morreu de covid-19. Quando chegou perto da bandeirola de canto, os 'ultras' húngaros atiraram-lhe copos e, segundo reportou a Sky Sports, entoaram cânticos racistas. Como resposta, Declan Rice bebeu um dos copos em tom de ironia para com estes "adeptos". A equipa inglesa respondeu aos insultos racistas dentro de campo, ao golear a Hungria por 4-0.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG