Futebol

Vitinha pretende ser uma referência no PSG e recorda frase de Sérgio Conceição

Vitinha pretende ser uma referência no PSG e recorda frase de Sérgio Conceição

O ex-jogador do F. C. Porto garantiu, esta quarta-feira, que não sente qualquer pressão por ter sido transferido para o PSG por mais de 40 milhões de euros e não esqueceu Sérgio Conceição.

Depois de uma boa época ao serviço do clube azul e branco, Vitinha assinou com o PSG um contrato válido até 2027, num negócio que custou mais de 40 milhões de euros. Apesar do valor alto, o médio garantiu que não sente qualquer pressão e quer ser uma referência para os parisienses.

"Era um dos meus objetivos. A Liga francesa é muita competitiva, um pouco física, muita velocidade. Vamos ver como reajo a estas características de jogo. Quero impor o meu jogo, impor a minha maneira de jogar, para que seja importante. Pressão? Não olho a isso. É algo que o mercado dita. Não devo concentrar-me nisso, apenas no trabalho diário para ajudar a equipa. Qualquer jogador vem com a intenção de ser titular, ninguém quer ser suplente. Tenho de estar preparado para todos os cenários. Caso jogue, perfeito, caso não jogue, é estar preparado para trabalhar ainda mais", começou por dizer o jogador em entrevista à RMC Sport, não esquecendo Sérgio Conceição.

"Já tive a oportunidade de o dizer. Foi muito importante. Ele tinha uma frase que me dizia e era engraçada, mas fazia sentido. Dizia que da forma que eu jogava há dois anos, apenas dava para eu jogar em dois ou três clubes, tendo em conta a posse de bola, ser muito técnico. Faltavam mais coisas. Com o que adicionei ao meu jogo, com o que ele tirou de mim, encaixo em qualquer clube do mundo e, certamente, no melhor clube de França", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG