Vitória - Marítimo

Triunfo justo mas sem nota artística

Triunfo justo mas sem nota artística

Estupiñan dá cor e ânimo a um jogo que nem sempre foi bem jogado. Minhotos somam terceiro triunfo consecutivo

Um golo do colombiano Estupiñan, nos minutos iniciais da segunda parte, foi suficiente para o V. Guimarães derrotar o Marítimo e ascender, provisoriamente, ao quinto lugar da Liga. Os minhotos continuam com um jogo a menos.

O primeiro tempo foi morno. Apesar da boa entrada local no jogo, os madeirenses souberam aproveitar a ausência de ideias dos minhotos na partida e, paulatinamente, foram criando perigo junto da baliza defendida pelo estreante Trmal. Contudo, insuficiente para desfazer o equilíbrio que foi notório.

Após o descanso, já com a criatividade de Janvier em detrimento de Wakaso, com o objetivo de criar oportunidades e empurrar o Marítimo para o seu meio-campo defensivo, a estratégia ficou facilitada com o golo madrugador. Amir ainda travou com classe o remate de Rochinha, mas não teve reflexos suficientes para parar a recarda de Estupiñan. Os madeirenses acusaram o golo e o Vitória passou a dominar, mas sem a eficácia desejada pelo responsável técnico para sentenciar a partida, diante um Marítimo que acusou o golo e teve maiores dificuldades para incomodar Trmal.

No lance mais duvidoso do encontro, no qual Fábio Veríssimo assinalou grande penalidade contra a equipa da casa, o árbitro leiriense reverteu a decisão por indicação do VAR. O próprio Fábio Veríssimo visionou o lance.

Veja o resumo do jogo:

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG