Transportes

A25 foi a autoestrada que mais descontos registou

A25 foi a autoestrada que mais descontos registou

Os descontos nas antigas autoestradas sem custos para os utilizadores (SCUT) atingiram os 2,62 milhões de euros no primeiro trimestre. A A25 foi a via mais utilizada e onde a redução de preços mais se fez sentir, de acordo com os dados solicitados pelo JN/Dinheiro Vivo à Infraestruturas de Portugal (IP).

Os novos descontos começaram a 11 de janeiro e aplicam-se aos automobilistas mais frequentes, autocarros e veículos de transporte de mercadorias. A medida apenas tem impacto se os veículos tiverem um dispositivo eletrónico.

Há redução de preço nas portagens para os veículos das classes 1 e 2 a partir da oitava viagem em 11 autoestradas (A4, A13, A17, A22, A23, A24, A25, A28, A29, A41 e A42).

Os descontos são maiores para os veículos de transporte de passageiros e de mercadorias: 35% nas viagens entre as 8 horas e as 19.59 horas; 55% de desconto entre as 20 horas e as 7.59 horas do dia seguinte e aos fins de semana e feriados.

Quem mais ganhou

Na A25, foram aplicados 1,09 milhões de euros em descontos no primeiro trimestre. A medida teve um impacto de 12,3% sobre os 8,84 milhões de euros de receita potencial da autoestrada que liga Aveiro até ao distrito da Guarda e que é gerida pela Ascendi, ao abrigo da concessão Beiras Litoral e Alta.

Na Costa de Prata, os descontos atingiram os 413 mil euros. Nas autoestradas A17, parte da A25 e ainda A29, o impacto da redução de preços foi de 5,5% porque a receita potencial foi de 7,52 milhões de euros.

PUB

A Via do Infante, no Algarve, foi a terceira autoestrada com mais descontos, no valor de 212 mil euros. Na A22, a redução correspondeu a 4,6% do encaixe potencial de 4,65 milhões de euros. A autoestrada algarvia foi a ex-SCUT mais afetada pelo coronavírus e perdeu o estatuto de via mais rentável: em 2020, a receita potencial caiu 33,3%, para 35,85 milhões de euros.

A subconcessão Transmontana teve o menor montante de descontos, de 59 mil euros, para receitas de 538 mil euros. A redução de preços teve um impacto de 11% sobre o encaixe financeiro, o segundo maior entre as 10 concessões e subconcessões afetadas pelas medidas do Governo.

Mais descontos em julho

Em termos proporcionais, os descontos nas ex-SCUT superariam o impacto antecipado pelo Governo, na ordem dos 10 milhões de euros para este ano.

No entanto, a partir de 1 julho haverá mais descontos nestas autoestradas: a redução de preço mínima será de 50% sobre o valor da taxa de portagem, atingindo os 75% se o veículo for elétrico.

A medida, aprovada pelos partidos para o Orçamento do Estado deste ano, terá um encargo entre 117 e 149 milhões de euros, de acordo com um parecer da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), da Assembleia da República.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG