O Jogo ao Vivo

Energia

Acelerar investimento em renováveis para controlar preço da eletricidade

Acelerar investimento em renováveis para controlar preço da eletricidade

Governo remete medidas de gestão da subida dos preços da eletricidade para o próximo Orçamento do Estado, apresentado a 15 de outubro, mas avança estratégia para 2022.

"Acelerar investimento nas renováveis é a única resposta [ao aumento de preço da eletricidade] e o que iremos fazer no próximo ano", revelou João Galamba, esta sexta-feira de manhã, no Parlamento, levantando o véu sobre as propostas do Governo para o próximo Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).

No debate sobre vários projetos de limitação dos preços dos combustíveis (o Governo propõe limitar as margens) e da eletricidade (o Bloco de Esquerda quer acabar com as rendas fixas e a taxação das renováveis), o secretário de Estado da Energia rejeitou a proposta do PCP para baixar preços na energia elétrica regulada, explicando que "isso seria subsidiar preços irrealistas à custa dos consumidores que estão no mercado liberalizado", sendo apenas realista "fazer com que os preços reflitam os custos da matéria-prima e de produção".

Outras medidas de apoio às famílias e empresas face ao aumento de preços da eletricidade esperado para 2022 foram remetidas para o OE2022.

O preço da eletricidade no mercado regulado já teve um aumento extraordinário de 3%, em julho, seguido de novo aumento de 3%, há dois dias, depois de ter sido decretada uma redução de 0,6% em janeiro. A 15 de outubro, deverá ser proposto o aumento para o ano que vem, a que deverá seguir-se a atualização de preços na generalidade do mercado liberalizado.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG