Anacom

Acesso à Internet via satélite tem uma reduzida penetração em Portugal

Acesso à Internet via satélite tem uma reduzida penetração em Portugal

O serviço de acesso à Internet via satélite tem uma reduzida penetração em Portugal e no final do ano passado contava com sete prestadores que comercializavam ofertas retalhistas, divulgou a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).

O regulador salienta que este serviço "é especialmente vocacionado para zonas remotas, de baixa densidade populacional e/ou de orografia mais complexa".

Embora o serviço de acesso à Internet por satélite tenha uma "reduzida penetração" em Portugal (0,03% do total), o número de acessos cresceu no terceiro trimestre do ano passado, "atingindo 1,3 milhares, o que representa um crescimento de 4,7% em relação ao mesmo período do ano anterior", lê-se na nota da Anacom.

O regulador salienta que a Internet via satélite "tem vindo a crescer de forma significativa desde o final de 2018", sendo que, entre o último trimestre daquele ano "e o terceiro trimestre de 2020, o número de subscritores aumentou 78,5%".

No final do ano passado, "identificaram-se sete prestadores que comercializavam ofertas retalhistas de serviço de acesso à Internet via satélite em Portugal".

De acordo com o relatório "Acesso à Internet via satélite - disponibilidade, mensalidades e atributos", este serviço "exige a instalação no exterior e alinhamento de uma antena parabólica de pequenas dimensões e de um 'router'".

Os prestadores vendem ou alugam estes equipamentos e a instalação pode ser efetuada pelo cliente ou pelo fornecedor e, após a ativação do serviço, este fica imediatamente disponível.

PUB

"As ofertas de acesso à Internet via satélite anunciadas pelos prestadores nos seus 'sites' permitem velocidades de 'download' até 100 Mbps e velocidades de 'upload' até 10 Mbps", sendo que, "ao contrário da maioria das ofertas de rede fixa, as ofertas de acesso à Internet via satélite com mensalidades mais reduzidas impõem limites de tráfego", lê-se no documento.

A mensalidade do serviço "é genericamente superior às ofertas residenciais equivalentes suportados noutras redes, embora comecem a surgir ofertas cada vez mais competitivas".

Destaca-se que "a prestação deste serviço é influenciada pelas condições atmosféricas, que poderão provocar desalinhamento das antenas, reduzir a largura de banda e, eventualmente, exigir assistência técnica especializada".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG