INE

Actividade económica e consumo privado pioram no 1.º trimestre

Actividade económica e consumo privado pioram no 1.º trimestre

O clima económico em Portugal e os indicadores de actividade económica e consumo privado agravaram-se no primeiro trimestre deste ano, mas as importações e exportações continuaram a aumentar, anunciou o Instituto Nacional de Estatística.

O indicador de clima económico passou de -0,6 no primeiro trimestre de 2010 e de -1,1 no último trimestre do ano passado, para -1,5 pontos em igual período de 2011, e também caiu em Abril.

Face ao trimestre anterior, o indicador de actividade económica também piorou, "mantendo o perfil descendente do trimestre anterior", descendo de 2,3 pontos no último trimestre para 2 pontos no primeiro trimestre deste ano. No mesmo período do ano anterior situou-se nos 0,7 pontos.

Por sua vez, o indicador de consumo privado "diminuiu expressivamente" no primeiro trimestre de 2011, passando de 2,3 no último trimestre de 2010 para -1,1 pontos. No mesmo período do ano anterior, situou-se nos 3,8 pontos.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a queda deve-se "ao resultado do contributo negativo de ambas as componentes, consumo corrente e consumo duradouro, mais expressivo no segundo caso".

No mesmo trimestre, o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) apresentou "uma redução mais intensa", reflectindo sobretudo a "evolução negativa da componente de material de transporte".

Em relação ao comércio internacional de bens, registaram-se no primeiro trimestre de 2011 crescimentos homólogos nominais das importações e das exportações de 8,5% e 17% (11,5% e 15,3% no quarto trimestre 2010), respectivamente.

PUB

Em Abril, a variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 4,1% (4% em Março) e excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, a respectiva variação homóloga situou-se em 2,6% (2,4% no mês anterior).

Os preços das componentes de bens e de serviços do IPC apresentaram crescimentos homólogos de 4,8% e 2,9% em Abril (4,9% e 2,7% em Março), respectivamente.

Outras Notícias