Economia

Actividade económica em Espanha recuou no último trimestre

Actividade económica em Espanha recuou no último trimestre

A actividade económica espanhola registou uma contracção no último trimestre, "num contexto de fortes tensões sobre o mercado financeiro e a deterioração das perspectivas de crescimento" mundial, divulgou o banco central de Espanha.

Na segunda-feira, o novo ministro da Economia espanhol, Luís de Guindos, tinha afirmado que economia espanhola deveria entrar "certamente" num "crescimento negativo" no terceiro trimestre de 2011.

"Após a estagnação da economia no terceiro trimestre, a informação conjuntural disponível, embora incompleta, mostra que a actividade se contraiu no último mês do exercício", indica o boletim mensal económico do Banco de Espanha.

Esta contracção, adianta o banco central, deve-se a "um contexto de fortes tensões sobre os mercados financeiros e a uma deterioração das perspectivas de crescimento na zona euro e no resto do mundo".

O supervisor destaca as "debilidades sentidas" no consumo no último trimestre, assim como os abrandamentos de investimentos nos bens de equipamento e a "trajectória de contracção" dos investimentos na construção, o antigo motor da economia espanhola.

A Espanha, que viu o seu produto interno bruto (PIB) recuar de 3,7% para 0,1% em 2010, dificilmente conseguiu chegar próximo daquele valor este ano, uma vez que no primeiro trimestre a economia progrediu 0,4%, no segundo 0,2%, e terminou no zero no terceiro trimestre.

Em termos anuais, o crescimento económico espanhol estabilizou-se nos 0,8% no terceiro trimestre, que é a previsão mais recente avançada pelo anterior governo liderado por Luís Zapatero para 2011. O novo governo, liderado por Mariano Rajoy, assumiu funções na semana passada.