Emprego

Agência alemã irá ajudar os países em crise contra o desemprego juvenil

Agência alemã irá ajudar os países em crise contra o desemprego juvenil

A Agência Federal de Emprego alemã vai apoiar diretamente os países em crise da Europa do sul na luta contra o desemprego juvenil, devido aos níveis dramáticos alcançados nalguns deles.

A Agência Federal de Emprego (BA) prepara para o final de janeiro do próximo ano uma grande conferência com representantes de entidades que gerem o Trabalho de Espanha, Itália, Portugal e Grécia, bem como os países do leste Europeu, destaca o semanário alemão Der Spiegel, na sua mais recente edição.

Em declarações à revista, Raimund Becker, membro executivo da agência alemã, enfatiza que nos seus contactos internacionais percebeu que "vários parceiros querem um intercâmbio detalhado" de informação.

Este responsável destaca também que, enquanto a Alemanha tem a menor taxa de desemprego entre os jovens na União Europeia, com apenas 8%, nos países em crise, como a Espanha, a taxa chega aos 50%.

Becker defendeu a aplicação do sistema dual de formação profissional alemão, que pretende que o jovem aprenda qualificações teóricas enquanto pratica essa teoria em contexto de trabalho nas empresas.

Raimund Becker propõe que sejam as empresas alemãs a oferecer formação dupla nos países em crise, tal como o fazem na Alemanha, onde tais estudos são geralmente pagos por empresas privadas que têm assim a sua própria "carteira" de futuros colaboradores.

O dirigente também refere a possibilidade de chegar a acordos com os países em crise para melhorar as condições de enquadramento que permitam aos jovens receber essa formação diretamente na Alemanha.

A taxa de desemprego para jovens entre os 15 aos 24 anos atingiu em Portugal os 35,5 p% no primeiro trimestre de 2012, segundo os números mais recentes divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, havia no segundo trimestre deste ano 149,7 mil jovens desempregados, mais de um terço do total do grupo etário entre os 15 e os 24 anos.

Os mais jovens são o grupo proporcionalmente mais afetado pelo desemprego. O grupo com a segunda taxa de desemprego mais alta é o dos jovens entre os 25 e os 34 anos: 17,6 %. Entre estes, a taxa subiu relativamente ao mês anterior.

Portugal foi visitado em março por uma "equipa de ação" da Comissão Europeia destinada a estudar a forma de utilizar fundos comunitários para reduzir o desemprego jovem.

Na definição europeia da taxa de desemprego jovem, a Grécia e a Espanha têm as taxas mais altas, acima dos 50 %, e Portugal é o terceiro país com mais jovens desempregados.

A taxa de desemprego total em Portugal no primeiro trimestre de 2012 atingiu os 15 %.