O Jogo ao Vivo

Crise

Agências de viagens com quebras de 90% pedem apoios e querem IVAucher

Agências de viagens com quebras de 90% pedem apoios e querem IVAucher

A recém-criada Associação de Sócios Gerentes das Agências de Viagens e Turismo (ASGAVT) está a apelar ao Governo apoios para o setor, que sofreu quebras de 90% e queixa-se de ser ignorada.

Com um mês e meio de vida, a ASGAVT pede a extensão da campanha do IVAucher às agências, apoios fiscais e acesso à plataforma Click2Portugal.

"As agências de viagens estão sem faturar, ou com faturação muito reduzida, desde 17 de março. Todas as viagens foram canceladas e ainda existem imensas restrições o que nos impede de vender", lamenta Fernando Santos, vice-presidente da ASGAVT, que garante não ser possível recuperar a Páscoa e o verão e que as agências estão a chegar ao "desespero".

As medidas de apoio às microempresas, diz, "são uma mão cheia de nada para um setor que gera 14 mil postos de trabalho diretos".

"O Governo tem incentivado a viajarmos cá dentro, mas nada tem feito para divulgar o nosso papel, somos esquecidos", apontou.

A ASGAVT apela a que a campanha do IVAucher seja estendida às agências na aquisição de alojamento; à criação da modalidade de IVAviagem semelhante ao IVAucher para incentivar a compra nas agências de viagem; à redução de 50% da TSU para os sócios gerentes e ao reembolso de 50% do IRC de 2019.

Pede ainda acesso à plataforma Click2Portugal que, no âmbito da campanha TUPODES, oferece 50% de desconto em hotéis, valor que é reembolsado às unidades hoteleiras. "Incentiva a compra direta ao hoteleiro. Elimina as agências como intermediário. Não é justo, a agência promove não só o hotel, como o cruzeiro, o restaurante, o SPA. Todos ganhavam", conclui.

PUB

Outras Notícias