Pandemia

Alojamento e restauração perderam cerca de 25% de trabalhadores desde 2019

Alojamento e restauração perderam cerca de 25% de trabalhadores desde 2019

O alojamento turístico e a restauração empregavam, em 2021, 244.400 trabalhadores, representando uma perda de cerca de 25% (76.300) face a 2019, antes da pandemia, disse esta quinta-feira a AHRESP, citando dados do INE.

"Em 2021, de acordo com o INE, o canal HORECA [estabelecimentos hoteleiros, de restauração e similares] empregava 244.400 trabalhadores (65.900 no alojamento turístico e 178.500 na restauração e similares), o que se traduz numa perda total de 76.300 trabalhadores face a 2019 (-16.100 no alojamento e -60.200 na restauração)", deu conta a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), no seu boletim diário.

Segundo a associação, os dados mostram que as atividades de alojamento e restauração perderam "cerca de um quarto da força de trabalho que tinham em 2019".

De 2020 para 2021 os setores tinham perdido 47.600 trabalhadores, lembrou a associação.

"Apesar de, no verão de 2021, as nossas empresas terem iniciado lentamente a retoma da sua atividade, esta tímida recuperação não encontrou paralelo no emprego, tendo o setor continuado a perder postos de trabalho", realçou a AHRESP.

Para fazer face ao problema de falta de mão de obra, a associação defendeu ser "urgente reforçar as políticas de apoio à manutenção do emprego e à contratação de novos postos de trabalho no setor do turismo".

Adicionalmente, a AHRESP defendeu a "redução da carga fiscal associada ao emprego" e o desenvolvimento de esforços para tornar aqueles setores mais atrativos para quem procura emprego.

PUB

Para a AHRESP, aquelas medidas permitirão às empresas "recuperar os trabalhadores que foram deslocados para outras atividades no decurso da crise pandémica".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG