Portugal Mobi Summit

5G permitirá acelerar mobilidade urbana

Portugal Mobi Summit

Foto André Luís Alves / Global Imagens

Durante a sessão de abertura do Portugal Mobi Summit 2022, que decorre entre hoje e amanhã nas instalações da Nova SBE, em Carcavelos, Ana Figueiredo, CEO da Altice Portugal, recordou que a conetividade é essencial para uma gestão urbana eficiente.

Inteligência artificial (IA), Internet das Coisas (IoT) ou Realidade Virtual (VR) são ferramentas tecnológicas que contribuem para o desenvolvimento das cidades inteligentes, e que farão parte da sua gestão. Mas, como salienta Ana Figueiredo, a conetividade "é essencial para a gestão urbana e para o desenvolvimento de soluções para a transição energética e digital", sendo o 5G a peça chave para acelerar a transformação já iniciada nas cidades onde a mobilidade urbana é uma componente muito importante. Além disso, acrescentou a CEO da Altice durante a sessão de abertura da cimeira Portugal Mobi Summit 2022, as redes de última geração móvel permitirão igualmente desenvolver a Indústria 4.0, essencial para o desenvolvimento económico e social do país.

Nas cidades, a tecnologia terá um impacto determinante e a capacidade de fazer, por exemplo, uma melhor gestão da segurança rodoviária, reduzindo os acidentes e os congestionamentos, e contribuindo para economizar recursos escassos como a energia ou a água, e para melhorar a qualidade do ar. Na mobilidade urbana, diz Ana Figueiredo, "com o recurso à inteligência artificial é possível fazer uma gestão remota de semáforos e utilizar painéis informativos que ajudem os condutores a evitar os locais com maior trânsito". Aquela responsável recorda a importância crescente da temática da mobilidade, citando um estudo da IDC que afirma que em 2022, em Portugal, este mercado já vale 3,6 mil milhões de euros.

Com outras tecnologias, como a realidade virtual, é possível ajudar profissionais como os bombeiros a fazer um combate mais eficaz aos incêndios urbanos pois garante uma avaliação do sinistro à distância, para uma mobilização de meios também mais eficiente e adequada. A CEO da Altice referiu, a este propósito, o projeto, em modelo test bed, que a empresa está a desenvolver, através da sua unidade de inovação, em parceria com o município de Aveiro. "Trata-se de uma plataforma urbana para a gestão de resíduos e da água, mobilidade urbana, e outras componentes, que queremos replicar noutras cidades".

Ana Figueiredo destacou ainda o papel da Altice no desenvolvimento de infraestruturas de dados, outra componente fundamental para a gestão destas transformações, seja nas cidades, seja na indústria. "O futuro é um caminho a fazer para que todos sejam beneficiados, e o digital é o facilitador para uma melhor gestão dos recursos escassos", disse.