Referendo

Trabalhadores da Autoeuropa rejeitaram pré-acordo laboral que previa aumento de 5,2%

JN/Agências

Foto Paulo Spranger/global Imagens

Os trabalhadores da Autoeuropa chumbaram o pré-acordo laboral que previa um aumento extraordinário de 5,2% por uma diferença de apenas 181 votos, no referendo realizado nos dias 4 e 5 de dezembro, revelou esta terça-feira fonte sindical.

Dos mais de cinco mil trabalhadores da fábrica de automóveis da Volkswagen, em Palmela, no distrito de Setúbal, só 3.865 exercerem o direito de voto, 2007 dos quais votaram contra o pré-acordo e 1.826 a favor. Houve ainda 10 votos nulos e 22 brancos.

"O resultado do referendo confirma que a maioria dos trabalhadores considera que o pré-acordo alcançado é insuficiente e que esta proposta de aumento salarial de 5,2% tem de ser melhorada", disse à agência Lusa Eduardo Florindo, do SITE Sul, Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul.

"Não há outro caminho senão o de prosseguir a luta pelo aumento extraordinário do salário", acrescentou o sindicalista, lembrando que cabe aos trabalhadores decidirem se vão apresentar uma contraproposta à empresa ou avançar com eventuais formas de luta.

Nesse sentido, o SITE-Sul já anunciou que irá convocar vários plenários de três horas em cada turno, no dia 13 (07:00/10:00 e 15:20/18:20), das 23.40 horas do dia 13 às 2.40 horas de dia 14, e ainda um último plenário a realizar das 7 horas às 10 do dia 14 de dezembro.

Inicialmente os trabalhadores da Autoeuropa reivindicavam um aumento salarial extraordinário de mais de 5% em dezembro, acrescido dos 2% que já estavam previamente acordados para janeiro de 2023, mas o pré-acordo que agora foi chumbado previa apenas um aumento único de 5,2%.