Transportes

Ana Paula Vitorino condena decisão de abandonar projeto do TGV

Ana Paula Vitorino condena decisão de abandonar projeto do TGV

A deputada socialista Ana Paula Vitorino considerou "absolutamente incompreensível" a decisão do governo de abandonar o projeto TGV (comboio de alta velocidade) e criticou o Tribunal de Contas por reprovar o contrato do troço Poceirão/Caia.

As posições de Ana Paula Vitorino, ex-secretária de Estado dos Transportes do primeiro governo liderado por José Sócrates, foram transmitidas em declarações à agência Lusa e TSF a meio de uma reunião do Grupo Parlamentar do PS.

Ana Paula Vitorino afirmou que a decisão do governo de abandonar o TGV foi "absolutamente incompreensível e lamentável", demonstrando que também em matéria de política de transportes este executivo "não encontra o seu rumo".

"Numa cimeira em Espanha, o ministro da Economia [Álvaro Santos Pereira] disse à sua homóloga espanhola que ia rever o projeto, mas agora diz que vai acabar com o projeto. O governo também não pode atuar desta maneira depois de o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, reafirmar a importância do projeto [TGV] para Portugal e para a União Europeia e depois de o próprio ministro da Economia ter aceitado essa posição", apontou a ex-secretária de Estado socialista.

Interrogada se o projeto do TGV era sustentável do ponto de vista financeiro, Ana Paula Vitorino contrapôs que "há dinheiro" para o concretizar.

"A questão coloca-se ao contrário. Se nós não fizermos o projeto vamos perder 1200 milhões de euros num projeto que se sustenta a si próprio. Temos dinheiro porque temos fundos comunitários e porque temos garantido um empréstimo do Banco Europeu de Investimentos (BEI)", sustentou, antes de questionar "qual o custo para o país" na sequência da decisão de abandonar o TGV.

"Se o projeto não for concretizado, não se cria emprego num momento em que o desemprego atinge gravemente os setores da construção e dos serviços e, finalmente, o país transmite a ideia de que não tem modelo de desenvolvimento económico. Por este caminho, este Governo leva ao fecho da economia deste país", acrescentou.

Ana Paula Vitorino criticou ainda o parecer negativo do Tribunal de Contas em relação ao contrato para a construção do TGV no troço entre o Poceirão e Caia.

"Considero que há considerações de caráter político que não devem ser feitas pelo Tribunal de Contas. Por outro lado, as críticas agora feitas pelo Tribunal de Contas já foram respondidas pelas entidades que estão a conduzir este projeto e não se compreende que o Governo, neste momento, não esteja a dizer que vai responder e que vai exercer o dever e o direito de recurso da decisão", advogou a ex-secretária de Estado socialista.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG